Sociedade | 29-07-2020 18:00

Fecho do parque da Junta de VFX dá dores de cabeça aos condutores

Fecho do parque da Junta de VFX dá dores de cabeça aos condutores
SOCIEDADE

Equipamento foi fechado ao público devido à pandemia e passou a ser de utilização exclusiva para quem paga avença mensal.

Quem chega de fora de Vila Franca de Xira e tenta estacionar o carro no parque de estacionamento da junta de freguesia, perto aos bombeiros da cidade, também conhecido como parque 25 de Abril, está a bater com o nariz na cancela porque este foi encerrado temporariamente e destina-se apenas a uso exclusivo de quem paga avença mensal.


O problema é que não há avisos à entrada do parque a dizer que está encerrado, só mesmo junto aos portões de acesso, situação que leva muitos condutores que desconhecem a situação a já não conseguir - ou a ter enormes dificuldades - para recuar e voltar a circular. “As pessoas vão levadas ao engano e depois não conseguem sair, têm de pedir licença a quem está atrás, tenho visto isso quase todos os dias”, confirma Leonor Sousa, moradora da zona. A situação tem gerado queixas e há até quem não compreenda porque motivo o parque não está já a funcionar normalmente.


João Santos, presidente da junta, explica que o parque foi encerrado ao público em geral durante o estado de emergência, para salvaguardar a saúde dos colaboradores que estão na portaria daquele equipamento. Tal como O MIRANTE já dera nota, o pagamento dos parquímetros na cidade foi também suspenso em Março por causa da pandemia e assim se mantém. A junta decidiu fazer o mesmo e abriu gratuitamente o seu segundo parque de estacionamento, contíguo ao adro da igreja, mas escolheu fechar ao público o parque 25 de Abril, deixando-o a funcionar apenas para quem paga 23 euros por mês para lá ter um lugar permanente.


O autarca acreditava que o parque estaria totalmente reaberto na manhã de 20 de Julho mas tal não se concretizou. “É uma situação que estamos a resolver e que pensamos já ter normalizada até ao final do mês, vamos reabri-lo”, explica a O MIRANTE, admitindo ter de melhorar também a informação no local sobretudo para quem vem de fora e desconhece a situação.


João Santos explica que todos os lugares estão ocupados por avençados mas que no dia-a-dia é possível manter as cancelas abertas sob cobrança porque permite rotatividade no estacionamento. A forma como o actual executivo tem gerido aquele parque de estacionamento tem merecido também reparos da oposição na assembleia de freguesia, tal como o nosso jornal tem dado conta.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1468
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1468
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo