Sociedade | 01-08-2020 12:30

Moradores de Santa Catarina queixam-se  de não ter água há quase dois meses

Moradores de Santa Catarina queixam-se  de não ter água há quase dois meses
SOCIEDADE

Câmara de Tomar diz que está a realizar obras que vão permitir o abastecimento ao concelho através da albufeira de Castelo de Bode e assim evitar estas situações.

Cristina Braz esteve perto de uma semana sem conseguir tomar banho normalmente porque há quase dois meses nas torneiras das casas de Santa Catarina, no concelho de Tomar, corre apenas um fio de água. A jovem confessa que nem o cabelo consegue lavar e que é horrível estar nesta situação sobretudo no Verão. Há poucos dias viu-se obrigada a lavar roupa à mão, com a pouca água que corria, porque não havia água suficiente para abastecer a máquina de lavar. “É uma situação insustentável”, confessa a O MIRANTE.


Paula Carvalho está a gerir o café/bar “Van Gogh” desde o início de Julho, em Santa Catarina, e já teve situações em que não tirou cafés aos clientes porque não havia água suficiente. O mesmo problema acontece ao final do dia quando os clientes pedem petiscos e Paula não tem como os cozinhar porque precisa de água. Tem recorrido a água engarrafada para solucionar o problema mas diz que esta é uma situação inadmissível.


Ana Paula Macedo já subscreveu o abaixo-assinado que está a circular em Santa Catarina para que a União de Freguesias de Casais e Alviobeira faça chegar o assunto à Câmara de Tomar e à assembleia municipal. A moradora também já foi reclamar à nova empresa intermunicipal, Tejo Ambiente, que gere os sistemas de água e saneamento de seis concelhos do Médio Tejo, incluindo o de Tomar.


“Primeiro disseram-me que era por causa da trovoada mas a trovoada aconteceu há 15 dias e estamos sem água há quase dois meses. Depois disseram que os canos estão cheios de calcário e que não está prevista nenhuma intervenção. Queremos que este problema se resolva porque não podemos viver sem um bem fundamental que é a água a que todos temos direito”, critica.


O vice-presidente da Câmara de Tomar, Hugo Cristóvão, explicou a O MIRANTE que durante o Verão é normal haver falta de pressão na água nas zonas que ainda são abastecidas pelo sub-sistema da Mendacha, como é o caso de Santa Catarina. É por este motivo que a Águas do Vale do Tejo consignou, há cerca de duas semanas, a empreitada de abastecimento à Mendacha, uma obra de 1,6 milhões de euros para melhorar o sistema que serve uma população de 25 mil pessoas.


Com um prazo de execução de 365 dias a empreitada abrange as vertentes de abastecimento de água e de saneamento no concelho. Hugo Cristóvão sublinhou que estas obras vão permitir que todo o concelho de Tomar seja abastecido pela albufeira de Castelo de Bode, o que vai fazer com que estes problemas de falta de água terminem definitivamente.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1468
    09-07-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1468
    09-07-2020
    Capa Vale Tejo