Sociedade | 15-09-2020 13:17

Vereador do PSD vai entregar certidão da reunião de câmara de Abrantes ao Ministério Público

Vereador do PSD vai entregar certidão da reunião de câmara de Abrantes ao Ministério Público
Foto O MIRANTE

Em causa estão declarações do vereador do BE, Armindo Silveira, sobre alegadas descargas de resíduos para ribeira na localidade de Brunheirinho.

O vereador Rui Santos (PSD) vai pedir uma extracção da certidão da acta da reunião de câmara de Abrantes de 1 de Setembro depois de saber que o vereador Armindo Silveira (BE) não entregou os documentos pedidos.

Em causa está a informação que Armindo Silveira referiu nessa sessão camarária de que, alegadamente, algumas pessoas despejam os resíduos armazenados nas fossas sépticas numa ribeira na localidade do Brunheirinho.

Rui Santos acrescentou que vai entregar a certidão no Ministério Público (MP) uma vez que despejar resíduos para uma ribeira é considerado crime ambiental. O MP vai investigar o caso e descobrir o que é ou não verdade. Armindo Silveira limitou-se a dizer que o vereador social-democrata pode prosseguir com a ameaça que só vai responder quando for chamado a fazê-lo.

Rui Santos explicou que pedir uma certidão não é apresentar queixa contra ninguém. “O Ministério Público vai investigar e se for verdade as pessoas em causa têm que ser punidas”, reforçou.

Rui Santos não gostou da postura de Armindo Silveira na reunião camarária de 1 de Setembro afirmando que os titulares de cargos políticos e públicos não podem fazer afirmações de munícipes em vão. O vereador do BE disse que a informação lhe foi transmitida por uma eleita da Assembleia de Freguesia da Bemposta.

O presidente do município, Manuel Valamatos (PS), lamentou que Armindo Silveira não tenha denunciado a situação antes e criticou por o vereador do BE omitir este tipo de informação.

Valamatos explicou que as fossas sépticas são limpas duas a três vezes por ano e que este número é suficiente para todas as habitações que têm as fossas sépticas dimensionadas ao tamanho da casa e do número de pessoas que lá reside.

O autarca explicou ainda que as primeiras três limpezas são gratuitas mas se for pedido mais limpezas a Abrantáqua (Serviço de Águas Residuais Urbanas do Município de Abrantes) não cobra pelo serviço.

“As pessoas têm que ter as fossas sépticas dimensionadas ao tipo de casa e ao número de pessoas que lá vive. O problema é que, em alguns casos, as fossas são mais pequenas do que é necessário”, realçou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1475
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1475
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo