Sociedade | 16-09-2020 12:30

Médio Tejo reivindica apoios do Governo para cobrir danos da tempestade Elsa

Intempérie ocorrida em Dezembro último causou prejuízos no valor de 7,7 milhões de euros em 10 dos 13 concelhos do Médio Tejo.

A Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIMT) deliberou, na reunião do conselho intermunicipal, realizada a 10 de Setembro, pedir uma reunião com carácter de urgência ao Governo para tentar obter respostas aos pedidos de apoio para fazer face ao prejuízos causados pela tempestade Elsa, em Dezembro de 2019.

A intempérie ocorrida entre os dias 18 e 20 de Dezembro, causou prejuízos no valor de 7,7 milhões de euros nos 13 concelhos do Médio Tejo, tendo cada município assumido a totalidade dos estragos. No entanto, e uma vez que os espaços e equipamentos danificados são, em alguns casos, da responsabilidade da tutela, os municípios continuam a aguardar os apoios específicos, nomeadamente, pela activação do Fundo de Emergência Municipal.

O mau tempo causou danos em 10 dos 13 concelhos do Médio Tejo, nos distritos de Santarém e Castelo Branco, designadamente em estradas, cais e plataformas, pontões, taludes, rede viária florestal e coberturas em habitações sociais.

Mação lidera a listagem de prejuízos, com um valor contabilizado na ordem dos 1,8 milhões de euros, seguido de Vila Nova da Barquinha e Sardoal (1,5 milhões cada); Abrantes (1,1 milhões) e Vila de Rei (650 mil euros).

A identificação dos custos decorrentes de intervenções de emergência junto de cada município indica ainda prejuízos elevados no Entroncamento (430 mil euros); Constância (300 mil euros); Torres Novas (200 mil euros); Ourém (180 mil euros) e Ferreira do Zêzere (50 mil euros). Os municípios de Tomar, Sertã e Alcanena não apresentaram prejuízos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1473
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1473
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo