Sociedade | 23-10-2020 12:00

Meio milhão para requalificar piscinas da Chamusca

Empreitada era para estar concluída em Maio deste ano, mas ainda nem começou. Intervenções prevêem um investimento de meio milhão de euros.

A requalificação das Piscinas Municipais da Chamusca, encerradas desde Setembro de 2019, vai custar meio milhão de euros. A empreitada prevê a renovação integral dos balneários, mudanças estruturais no edifício e na sua cobertura e a instalação de um novo sistema de aquecimento de águas. Parte do financiamento da obra é garantido através do programa BEM (Beneficiação de Equipamentos Municipais).

As obras eram para iniciar ainda em 2019, e a sua conclusão estava prevista para Maio de 2020, mas um atraso num parecer do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ) impediu o começo dos trabalhos. Recorde-se que, depois de quase um ano fechadas, as piscinas reabriram em Julho nas mesmas condições que ditaram o seu encerramento, para receber crianças dos campos de férias das juntas de freguesia do concelho.

A ideia do executivo em requalificar os balneários surge da necessidade de modernizar o equipamento e aumentar a sua dimensão para fazer face ao crescimento de utilizadores. No entanto, importa referir que há vários anos que as piscinas da Chamusca não fazem parte das primeiras escolhas da maioria da população do concelho. Durante o ano, os utilizadores transferiram-se para o complexo das piscinas da Golegã e, no Verão, para o Complexo Aquático de Santarém.

Depois de terminada a primeira fase da empreitada, o projecto prevê também a construção de uma tanque de adaptação ao meio aquático e a instalação de uma cobertura permanente no tanque principal. A ampliação do complexo com a construção de uma nova piscina recreativa na zona relvada também está em cima da mesa.

À margem

O mercado municipal da Chamusca tem as portas fechadas há cerca de quatro anos. As intervenções que estão a ser realizadas naquele espaço nasceram enguiçadas e já sofreram vários contratempos. O presidente do município, Paulo Queimado (PS), já prometeu tantas vezes a conclusão das obras que, em reunião camarária, admitiu sentir vergonha de passar junto ao local.

Na última Assembleia Municipal da Chamusca voltou a prometer aos eleitos que o mercado é para reabrir “de costas ou de barriga, em Novembro”. Recorde-se que o autarca tinha dado como certa, em assembleia municipal de Fevereiro, a reabertura no final de Abril deste ano.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1482
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1482
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo