Sociedade | 27-10-2020 15:00

Correr e caminhar nas zonas ribeirinhas de Alverca e Póvoa pode ser perigoso

Tentativas de violação e assaltos levaram a associação Alverca Urban Runners a lançar alerta na última semana.

Correr e caminhar nos caminhos rurais do concelho de Vila Franca de Xira e em particular nas zonas ribeirinhas de Alverca e Póvoa de Santa Iria está a ficar mais perigoso e existem vários relatos de assaltos, assédios sexuais a mulheres e situações de intimidação.

O alerta foi deixado na última sessão da Assembleia Municipal de Vila Franca de Xira por Paulo Lopes, porta-voz da associação Alverca Urban Runners, que pediu ao executivo um reforço efectivo das condições de segurança naquelas zonas.

“Promovemos treinos de corrida e caminhada em percursos do concelho de Vila Franca de Xira e os caminhos ribeirinhos de Alverca e Póvoa de Santa Iria são locais de eleição. Infelizmente são já alguns os casos que têm sido vividos de perto de assaltos, assédios e tentativas de prática de vários crimes sobre a integridade pessoal, o que tem tornado aquela zona insegura e afastado muitos dos elementos de vir treinar”, alertou Paulo Lopes.

Os agressores aproveitam a falta de manutenção dos canaviais e outro matagal para se esconderem no meio e surpreenderem as vítimas quando estas passam. Por isso o dirigente da associação pede maior regularidade no corte e manutenção das vias e que sejam reforçadas as medidas de segurança para minimizar as situações de risco que estão a ser sentidas.

O presidente do município, Alberto Mesquita, reconhece o problema, notando que para que tudo funcione na perfeição é preciso que as forças de segurança façam a sua parte e andem mais no terreno. “Juntamente com a GNR e PSP temos feito avaliações sobre estas matérias e vou reforçar a necessidade de nestas zonas poder haver uma atitude mais regular para proteger as pessoas que fazem o seu exercício físico”, prometeu.

Este Verão há registo de pelo menos três casos de assaltos violentos em caminhos do concelho, sempre a mulheres. A primeira, de 31 anos, foi ameaçada com uma faca quando seguia no caminho pedonal entre o Forte da Casa e Alverca e teve de entregar o telemóvel, a bolsa de corrida, chapéu e auriculares.

Quatro dias depois, em Setembro, outra mulher de 58 anos foi surpreendida por um ciclista que a tentou violar e roubar os objectos que transportava consigo. A PSP explicou na altura a O MIRANTE que existe policiamento activo no local através de patrulhas em bicicleta, mas os relatos de crimes continuam.

Um dos assaltos mais mediáticos, que chegou a ser capa na imprensa inglesa, aconteceu com uma peregrina de 27 anos que estava a percorrer os caminhos de Santiago e ao passar por Alpriate, em Vialonga, acabou assaltada e esfaqueada.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo