Sociedade | 27-10-2020 16:24

Petições em Santarém pelo desvio da linha ferroviária do Norte

Município e cidadãos inconformados com a não inclusão do projecto no Plano Nacional de Investimentos 2030 anunciado pelo Governo.

A não inclusão do projecto de desvio à linha ferroviária do Norte na zona de Santarém, há muito prometido pelo Governo, motivou reacções de desagrado com o presidente do município, Ricardo Gonçalves (PSD), a anunciar que já pediu reuniões ao primeiro-ministro António Costa e ao ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos, para dar conta da sua “perplexidade”. O autarca acrescenta que vai ser lançada uma petição pública e convocada uma assembleia municipal extraordinária sobre o assunto, bem como uma reunião com todos os deputados do distrito de Santarém.

Também um grupo de cidadãos vai lançar uma petição pública no final desta semana, conforme informaram Francisco Mendes e José Magalhães, membros do movimento Mais Santarém e eleitos da assembleia municipal nas listas do PS. A iniciativa tem como promotores “um conjunto de cidadãos com maior e menor notoriedade, de espectro ideológico completamente abrangente e diversificado”, dizem.

Os promotores da petição popular recordam que em 10 de Janeiro de 2019 foi tornado público o Relatório do Plano Nacional de Investimentos 2030 e respectivos anexos em que constava como investimento a “construção da variante e aumento da velocidade máxima de circulação entre Santarém e Entroncamento (troço Vale de Santarém-Entroncamento)”. Menção que entretanto deixou de constar no documento.

“Como é sabido, o adiar sucessivo deste projecto constitui um perigo iminente e constante de derrocada das barreiras sobre a linha do comboio na zona da Ribeira de Santarém que, a acontecer, resultaria numa mais que provável catástrofe com eminentes perdas humanas”, afirmam.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1483
    19-08-2020
    Capa Vale Tejo