Sociedade | 27-01-2021 07:00

Cabecilhas da droga de Vila Franca de Xira apanhados em mega operação

Cabecilhas da droga de Vila Franca de Xira apanhados em mega operação
SOCIEDADE

Maior apreensão de droga de sempre no concelho permitiu tirar das ruas mais de 13 mil doses que alimentavam a Área Metropolitana de Lisboa.

Foi desmantelada na última semana aquela que era considerada uma das maiores redes de tráfico de droga da região com sede em Vila Franca de Xira, resultando na maior apreensão de droga de sempre nesse concelho e na detenção de sete suspeitos.

Há mais de um ano que os agentes da Esquadra de Investigação Criminal da PSP da Póvoa de Santa Iria andavam infiltrados e no dia 12 de Janeiro, numa operação surpresa coordenada nos concelhos de Vila Franca de Xira e Amadora, realizaram 23 buscas, dez delas domiciliárias.

A rede actuava sobretudo no fornecimento de droga nas cidades de Alverca, Póvoa e Vila Franca de Xira, mas as autoridades acreditam que também alimentavam outros concelhos vizinhos da Área Metropolitana de Lisboa. Os traficantes tinham em sua posse mais de um quilo de cocaína, suficiente para 5.195 doses individuais, juntamente com quatro quilos de haxixe, suficiente para 8.728 doses. No total saíram das ruas 13.923 doses de droga.

Os suspeitos tinham também em sua posse quatro balanças de precisão e várias armas de calibre militar, incluindo uma carabina de calibre 22, uma granada de fumo e gás, um carregador G3, um revólver de calibre 22, uma pistola de 9 milímetros e uma pistola de alarme. Foram também encontradas nas buscas um silenciador artesanal, um carregador de pistola de 9 milímetros e 170 munições de vários calibres. Os suspeitos tinham também dez armas brancas, incluindo facas e navalhas.

Sete automóveis de luxo de alta cilindrada foram também apreendidos, juntamente com 7.827 euros em dinheiro, 21 telemóveis que serviram para coordenar a distribuição da droga e diversos artigos em ouro como anéis, fios e pulseiras. Suspeitos tinham também uma máquina fotográfica, máquina de contar dinheiro, televisões, consolas de jogos e computadores portáteis.

No decorrer da investigação, os agentes conseguiram perceber a forma de actuação da rede e isso será determinante no prosseguimento das investigações futuras em torno do caso. A PSP acredita que tendo em conta a quantidade de estupefaciente apreendido, dinheiro e armas de fogo, é certo que a actuação policial terá infligido um forte revés no tráfico de droga levado a cabo na zona de Vila Franca de Xira e área envolvente à grande Lisboa.

Traficantes a viverem do rendimento social

Os suspeitos são seis homens e uma mulher com idades entre os 24 e os 57 anos. Um casal, que é considerado pela polícia como o cérebro da rede, vai aguardar julgamento em prisão preventiva. O homem e a mulher moram no chamado bairro azul da Póvoa de Santa Iria. Além dos ganhos decorrentes do tráfico de estupefacientes viviam dos subsídios do rendimento social de inserção que recebem mensalmente do Estado e dos apoios do banco alimentar, que lhes entregava comida, apurou O MIRANTE. Paralelamente à actividade ilícita a dupla também vendia peças de roupa nos mercados do concelho e a polícia desconfia que a droga se movimentava entre concelhos escondida no vestuário. Os restantes cinco detidos são conhecidos do casal, alguns ainda com laços familiares, residentes noutros bairros do concelho.

Estão obrigados a apresentações semanais na esquadra de polícia da área de residência. A policia desconfia que a principal actividade dos traficantes é marginal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1497
    10-02-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1497
    10-02-2021
    Capa Vale Tejo