Sociedade | 20-02-2021 18:00

Centro de Conhecimento Luiza Andaluz quer ir ao encontro das pessoas inquietas

Centro de Conhecimento Luiza Andaluz quer ir ao encontro das pessoas inquietas
SOCIEDADE
foto DR Mafalda Leitão

Projecto foi apresentado online, no 144º aniversário de Luiza Andaluz, pela Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima e aposta na evangelização transformadora.

O 144º aniversário do nascimento de Luiza Andaluz foi assinalado na sexta-feira, 12 de Fevereiro, pela Congregação das Servas de Nossa Senhora de Fátima, com o lançamento do projecto Luiza Andaluz Centro de Conhecimento. Uma iniciativa que pretende ser um espaço contemporâneo e de vanguarda aberto à comunidade, inspirado em Luiza Andaluz.

O novo projecto pretende, nas palavras da irmã Mafalda Leitão, dar uma resposta ao presente preparando o futuro e uma nova forma de dialogar com a sociedade contemporânea em novos palcos, para potenciar o conhecimento de Luiza Andaluz e expandir a Congregação. “Pretende-se ir ao encontro das pessoas inquietas que querem encontrar o rosto de Deus, um rosto diferente no século XXI. Esta é uma evangelização transformadora”, referiu.

Por enquanto os novos palcos serão os virtuais - Facebook, Instagram e YouTube (luiza.andaluz.cc) - mas em Outubro de 2023, data em que se assinala o centenário da Congregação, deverão ser inaugurados espaços físicos do Luiza Andaluz Centro de Conhecimento em Santarém e em Lisboa.

Pedro Leão, arquitecto responsável pela transformação destes espaços, falou num processo de descoberta de Luiza e da Congregação, a partir dos sonhos das irmãs que o tornaram possível. Um processo repleto de “indefinições e desafios” que arrancou em Santarém e se expandiu a Lisboa.

O processo criativo por trás da criação da marca e do logótipo foi explicado pela sua criadora, a designer Cristina Laranjeira, que, em traços gerais, referiu que a presença de Luiza é marcada de forma indelével pela sua assinatura, complementada pela utilização do amarelo, cor associada à luz, imaginação e alegria e do cinza, sinónimo de despojamento. A contrastar com o nome de Luiza Andaluz surge o lettering contemporâneo de Centro de Conhecimento entrelaçando passado e futuro simbolicamente na ligação do “z” com o “c”.

A apresentação decorreu através da plataforma Zoom, com moderação de Joana Emídio, directora executiva de O MIRANTE. Marcaram presença cerca de uma centena de convidados espalhados um pouco por todo o mundo onde a congregação marca presença, como Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Brasil ou Filipinas. Mafalda Leitão deixou ainda o convite à participação num ciclo de conferências que se inicia em Março, também via Internet, sobre Educação, Espiritualidade e Inovação.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1496
    10-02-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1496
    10-02-2021
    Capa Vale Tejo