Sociedade | 09-04-2021 12:30

Ponte Marechal Carmona é um perigo para quem anda na estrada

Ponte Marechal Carmona é um perigo para quem anda na estrada
SOCIEDADE

Ponte usada diariamente por milhares de automobilistas está há mais de três anos à espera de obras. A Infraestruturas de Portugal tem a decorrer o concurso para elaboração do projecto mas o presidente do município mostra-se cauteloso e lembra que as obras já são faladas há muito tempo.

Está a decorrer o concurso público para adjudicação do projecto de reabilitação geral da Ponte Marechal Carmona, em Vila Franca de Xira, e o Governo espera que o projecto possa estar concluído e aprovado durante o último trimestre de 2021. A informação foi avançada na última semana pelo gabinete do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, em resposta a uma questão colocada pela deputada do Bloco de Esquerda Isabel Pires.


O estado de conservação da ponte veio a lume, também, na última reunião pública do executivo, com Carlos Patrão, vereador do BE, a solicitar um ponto de situação ao presidente da câmara, Alberto Mesquita (PS), sobre o assunto. “Efectivamente a IP tem-nos dito que os procedimentos para as obras de manutenção estão a avançar mas já ouvimos isso há muito tempo”, afirmou Mesquita, não acreditando que a solução para o problema esteja para breve.
A ponte de Vila Franca de Xira, usada diariamente por milhares de automobilistas e a única passagem rodoviária sobre o rio Tejo na área de Lisboa onde não se paga portagem para atravessar e está há pelo menos três anos a necessitar de obras de reabilitação que têm sido sucessivamente adiadas.


Chegou a haver uma intenção de trabalhos em cima da mesa, na ordem dos dois milhões de euros, visando intervenções nas juntas de dilatação, pilares, pavimento, passeios, pintura geral e tratamento das superfícies de betão mas a intervenção nunca avançou. Também continua a ser considerada urgente a pintura do piso e a reparação dos 85 focos de luz - dos 120 existentes - que não funcionam.


O Governo explica que a IP já tem o projecto concluído para a substituição da infraestrutura de iluminação pública existente, estando a desenvolver contactos com o município para celebrar um acordo de gestão que regulará as responsabilidades das partes em matéria do fornecimento de energia e manutenção do sistema.


Alberto Mesquita diz ser estranho que para avançar os trabalhos de substituição das luminárias da ponte seja preciso um acordo de gestão com a câmara e defende que a IP deve avançar já com as obras e tratar do resto depois. Em 2017 a IP dizia que a ponte estava num estado considerado “bom” embora reconhecesse que era necessário realizar trabalhos de reabilitação.

Ponte celebra 70 anos

Em 1924 o município de Vila Franca de Xira faz o primeiro pedido oficial para que fosse construída uma ponte sobre o rio Tejo junto à cidade mas a construção só avançou no final da década de 1940. Abriu ao trânsito a 30 de Dezembro de 1951. Tem 1.224 metros de comprimento e um tabuleiro central de 524 metros divididos em cinco vãos de 104 metros cada e três faixas de rodagem, duas delas no sentido Porto Alto-Vila Franca de Xira. A travessia deu que falar em Janeiro de 2019 depois do vereador do Bloco de Esquerda, Carlos Patrão, ter proposto a mudança do nome da ponte, passando de Marechal Carmona para simplesmente Ponte de Vila Franca de Xira.

À margem

A ponte Marechal Carmona é o símbolo maior e mais emblemático do concelho de Vila Franca de Xira. Está em todos os folhetos turísticos do concelho, nos vídeos promocionais, e os seus arcos foram usados como inspiração para a nova imagem institucional da câmara municipal. É a maior obra de engenharia pública jamais realizada naquele território. A forma como tem sido deixada ao abandono pelos sucessivos Governos e organismos públicos merece inquietação popular. A degradação causada por anos de utilização intensiva sente-se e basta passar na estrutura para perceber que já tarda uma intervenção séria. Os projectores dos arcos estão apagados há mais de uma década; a maioria dos candeeiros também não dão luz. O piso já viu melhores dias, as faixas de rodagem são estreitas e carecem de alargamento; as marcações no piso estão esbatidas em muitos locais. Se a ponte 25 de Abril, em Lisboa, estivesse no estado em que se encontra a Marechal Carmona, que diriam as entidades responsáveis pela sua manutenção? Ou será que conseguir iluminar uma ponte durante a noite é uma tarefa demasiado hercúlea para um país desenvolvido como Portugal?.

Mais Notícias

    A carregar...