Sociedade | 09-04-2021 18:00

Requalificação do Serviço de Urgências  em Abrantes vai custar 3 milhões

Requalificação do Serviço de Urgências  em Abrantes vai custar 3 milhões
SOCIEDADE

Obra já tem luz verde do Governo e o concurso público deve ser lançado até Junho. Empreitada, falada já há alguns anos, deve decorrer em 2022.

As obras de requalificação, modernização e expansão das Urgências Médico-Cirúrgicas no Hospital de Abrantes, do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT), vão custar 2,9 milhões de euros e já têm autorização do Governo para avançar. “O projecto e o financiamento estão todos aprovados pela tutela e agora é só começar a preparar o caderno de encargos para lançar o concurso e recebermos as propostas para a empreitada”, disse o presidente do conselho de administração do CHMT, na cerimónia de apresentação do projecto de requalificação na unidade hospitalar de Abrantes.
Carlos Andrade Costa destacou que o concurso público deve ser lançado até Junho e que o investimento a realizar ao longo do próximo ano vai permitir “adequar as Urgências Médico-Cirúrgicas às melhores práticas no âmbito do exercício de uma medicina segura, moderna e diferenciada, e com as melhores condições, quer técnicas, para os profissionais de saúde, quer para os doentes”.


Questionado sobre um alegado atraso no arranque de uma necessidade identificada há vários anos, o presidente do CHMT disse que o processo das obras de requalificação do Serviço de Urgência Médico-Cirúrgica é “tecnicamente complexo, com diversas fases e projectos de especialidade em arquitectura e em engenharia hospitalar” e que os “quatro anos a trabalhar neste conjunto de investimentos está dentro dos prazos normais”.


“A empreitada de requalificação das Urgências Médico-Cirúrgicas vai durar cerca de um ano e a obra vai decorrer, essencialmente, ao longo do ano de 2022, estando orçada em 2,9 milhões de euros”, reiterou, tendo adiantado que o projecto global inclui ainda uma segunda empreitada, a lançar posteriormente, para “requalificação do Serviço de Gastroenterologia e de Consulta Externa”, ainda em Abrantes, obra que irá implicar um investimento na ordem de um milhão de euros.


O presidente da Câmara de Abrantes, Manuel Valamatos, realçou a intervenção apresentada como um “dia importante” e “um investimento há muito tempo desejado”, tendo feito notar que estes melhoramentos permitem “afirmar a unidade hospitalar de Abrantes na região e no país” e dotá-la de “melhores condições para servir a comunidade e as pessoas”.

Dívida do CHMT baixa ligeiramente

Ainda sem ter as contas fechadas relativamente a 2020, Carlos Andrade Costa avançou, no entanto, que “num ano muito severo e em que foi preciso fazer muitos investimentos”, aludindo à situação pandémica, a dívida do CHMT, que esteve em falência técnica em 2010, vai ser “ligeiramente inferior a 31 de Dezembro de 2020 do que a dívida a 31 de Dezembro de 2019”, que se cifrava então na ordem dos 24 milhões de euros.

Mais Notícias

    A carregar...