Sociedade | 29-04-2021 15:00

Pombos invadiram Alverca e junta promete multar quem os alimentar

Pombos invadiram Alverca e junta promete multar quem os alimentar
SOCIEDADE

Comida frequente e abrigo fazem com que Alverca seja uma das cidades do concelho de Vila Franca de Xira a braços com pragas de pombos que estão a causar problemas. Junta emitiu um comunicado pedindo aos moradores para não alimentar as aves.

Alverca está a braços com uma praga de pombos nunca vista na cidade, com diversas queixas a darem entrada nos serviços da junta de freguesia por problemas causados pelas aves. Por isso, o executivo da cidade deixou um apelo aos moradores para que não as alimentem. E em edital vai mais longe prometendo mesmo multar quem for apanhado a fazê-lo.

A situação gerou uma onda de discórdia. De um lado quem concorda com o executivo e vive na pele os problemas causados pelos pombos sobretudo nos algerozes dos edifícios; do outro quem acha que os animais morrem à fome e que o pedido da junta roça a crueldade.

O presidente da junta, Carlos Gonçalves, rebate essa argumentação. “Fomos criticados pelo comunicado mas reiteramos o que escrevemos. Os animais não vão morrer à fome se não forem alimentados, vão recorrer à lezíria e ao campo que é onde deve ser o seu habitat. Os pombos são uma praga, multiplicam-se rapidamente e têm consequências para as pessoas”, lamenta o autarca. O Regulamento Municipal de Higiene Pública do concelho de Vila Franca de Xira determina que alimentar estes animais é uma infracção grave punível com coima entre 500 e 3 mil euros e por isso a junta, que diz conhecer casos de moradores que alimentam os pombos de forma sistemática, promete ter mão pesada com quem não cumprir a lei.

“Estas aves são transmissoras de mais de 20 doenças e este excesso de pombos pode criar problemas ao nível do bem-estar e saúde das populações, de conservação do património edificado e da redução da biodiversidade de outras aves”, lê-se no comunicado da junta.

O assunto foi também falado na última assembleia de freguesia, com Rui Valadas, do CDS, a elogiar a medida da junta dizendo que se trata de prevenir e defender a saúde pública. “É bom ver que este assunto não está esquecido mas também sabemos que a intervenção tem sido nula e ineficaz. É mais um mandato que se perdeu para promover uma solução eficiente para este problema”, lamentou.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1511
    10-02-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1511
    10-02-2021
    Capa Vale Tejo