Sociedade | 08-05-2021 15:00

Município quer intervenção da Segurança Social no CBEI de Vila Franca de Xira

Município quer intervenção da Segurança Social no CBEI de Vila Franca de Xira
SOCIEDADE
Presidente da câmara quer que a Segurança Social coloque um técnico a gerir o CBEI e a ajudar os órgãos de gestão a ultrapassar o sufoco financeiro

Instituição sofreu novo golpe financeiro depois da câmara acabar com o protocolo que mantinha com a associação por incumprimento desta no fornecimento de refeições para as escolas.

Instituição sofreu novo golpe financeiro depois da câmara acabar com o protocolo que mantinha com a associação por incumprimento desta no fornecimento de refeições para as escolas. Presidente do município pede intervenção urgente da Segurança Social.

O presidente da Câmara de Vila Franca de Xira, Alberto Mesquita (PS), está “muito preocupado” com a situação financeira e social do segundo maior empregador da cidade, o Centro de Bem-Estar Infantil (CBEI) e pede que a Segurança Social coloque um técnico a gerir a instituição.


O autarca respondia na última reunião pública do executivo a uma carta aberta dos trabalhadores do CBEI onde estes pedem ajuda do município para ultrapassar a situação financeira apertada em que a associação vive. Os 82 trabalhadores ainda não receberam parte do subsídio de férias nem a totalidade do subsídio de Natal de 2020.


Um dos protocolos que ajudava a injectar receitas na associação estava firmado entre a câmara e o CBEI e tinha como objectivo o fornecimento de refeições, pela instituição, ao agrupamento de escolas da cidade. Mas como a associação deixou de cumprir as suas obrigações o protocolo foi extinto.


“Não anulámos esse protocolo porque nos apeteceu, isso seria estúpido. O que aconteceu é que esse protocolo era tripartido e uma das partes, o agrupamento de escolas, veio manifestar que o serviço prestado era mau. Havia várias dificuldades e não poderíamos continuar um protocolo em que a sua execução não estava a ser cumprida”, critica Mesquita, lembrando que o dinheiro público deve ser usado com rigor.


E o autarca vai mais longe, avisando que ou o CBEI garante à câmara e agrupamento de escolas que pode realmente fornecer as refeições protocoladas ou então a câmara vai procurar outras soluções para assegurar esse serviço. O que até já está a acontecer, porque as crianças não podem ficar sem alimentação.


O autarca já transmitiu à Segurança Social as suas preocupações sobre a situação do CBEI e considera que a disponibilização do Fundo de Socorro da Segurança Social é “imprescindível” para tirar a instituição do sufoco financeiro. “O fundo deve ser disponibilizado o mais depressa possível mas para isso é preciso que os órgãos sociais apresentem os documentos necessários, que segundo a informação que tenho ainda não aconteceu”, criticou.


Numa carta aberta, os trabalhadores da instituição pedem ajuda da câmara, lamentam a crescente saída de crianças da instituição, o facto de muitos funcionários continuarem em lay-off parcial quando quem está ao serviço está com demasiado trabalho e de não terem ainda recebido parte dos vencimentos.
O MIRANTE contactou o CBEI para obter mais esclarecimentos sobre este assunto mas nenhuma resposta nos foi enviada até ao fecho desta edição.

Mais Notícias

    A carregar...