Sociedade | 10-06-2021 12:54

Presidente da República pede que não se transforme fundos europeus em "benesses para alguns"

Presidente da República pede que não se transforme fundos europeus em "benesses para alguns"

No discurso do 10 de Junho, Marcelo Rebelo de Sousa colocou enfoque na reconstrução do “tecido social ferido pela pandemia”.

O Presidente da República apelou no seu discurso do 10 de Junho a que se reconstrua "o tecido social ferido pela pandemia" e não se desperdice fundos europeus transformando-os numa "chuva de benesses para alguns".

"A terra, esta terra exige mais de nós, que o não esqueçamos nos próximos anos, não nos limitando a remendar o tecido social ferido pela pandemia. Reconstruamos esse tecido a pensar em 2030, 2040, 2050", declarou Marcelo Rebelo de Sousa, na cerimónia militar comemorativa do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, no Funchal.

Perante o presidente da Assembleia da República, o primeiro-ministro, e o presidente do Governo Regional da Madeira, o Chefe de Estado defendeu que "é necessário agir em conjunto, com organização, transparência, eficácia, responsabilidade, resultados duradouros" e acrescentou: "Que tudo façamos para o conseguir".

Depois, o Presidente da República referiu-se aos fundos europeus, afirmando: "É necessário ter nestes anos um apelo à convergência para aproveitar recursos, recriar espírito novo de futuro para todos, e não uma chuva de benesses para alguns, que se veja com olhos de interesse colectivo e não com olhos de egoísmos pessoais ou de grupo".

"Este 10 de Junho interpela-nos a não desperdiçarmos o acicato dos fundos que nos podem ajudar evitando deles fazer, em pequeno e por curtos anos, o que fizemos tantas vezes na nossa História, com o ouro, com as especiarias, com a prata, mais perto de nós com alguns dos dinheiros comunitários, sendo uma terra de passagem para outros destinos ou porto de abrigo para muitos poucos de nós", reforçou.

Mais Notícias

    A carregar...