Sociedade | 10-06-2021 12:30

Ribeiro de Aveiras reabilitado após anos de abandono

Ribeiro de Aveiras reabilitado após anos de abandono
SOCIEDADE
Obra de valorização do ribeiro de Aveiras, concelho de Azambuja, foi inaugurado a 5 de Junho

A Câmara de Azambuja inaugurou no sábado, 5 de Junho, a obra de valorização do ribeiro de Aveiras, em Aveiras de Baixo, pontapé de saída para a criação do Parque Biológico e Ambiental de Azambuja.

A Câmara de Azambuja inaugurou no sábado, 5 de Junho, a obra de valorização do ribeiro de Aveiras, em Aveiras de Baixo, pontapé de saída para a criação do Parque Biológico e Ambiental de Azambuja. O espaço está situado nos terrenos dos antigos viveiros do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), entidade com a qual a autarquia tem um protocolo válido por 30 anos.

O objectivo deste protocolo é fazer com que a Câmara de Azambuja consiga usar o espaço e revitalizá-lo para usufruto da população. A inauguração contou com a presença do presidente da Câmara de Azambuja, Luís de Sousa, que destacou a importância desta obra como um passo importante na estratégia para a neutralidade carbónica no concelho, um objectivo a cumprir pela autarquia até 2050.

Seguiu-se uma visita guiada feita pelo engenheiro responsável pelo projecto, Pedro Teiga, que mostrou as várias técnicas de engenharia natural usadas na reabilitação do espaço, ao abandono há alguns anos. Estas técnicas visam o controlo das espécies invasoras através do corte da vegetação invasora e do reforço da plantação de espécies nativas do ecossistema da região.

Numa última fase foram modeladas as margens da ribeira, a criação de um anfiteatro e a construção do caminho ao longo da ribeira. Com a conclusão do projecto, Azambuja consegue, assim, ter o primeiro laboratório de educação ambiental na zona sul do país, que poderá ser visitado por estudantes ou por todos aqueles que o pretendam.

Esta obra, que teve início em Outubro do ano passado, pretende tornar a zona mais preparada para os riscos associados a cheias e inundações, custou cerca de 200 mil euros, sendo 170 mil euros financiados através do Fundo Ambiental.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1513
    23-06-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1513
    23-06-2021
    Capa Vale Tejo