Sociedade | 13-10-2021 07:00

Portas abertas para mais um grande hotel em Tomar

Município adjudicou definitivamente as instalações do Convento de Santa Iria e antigo Colégio Feminino ao Grupo Vila Galé para construção de uma unidade hoteleira. Vereadora do PSD criticou transparência do processo mas restante executivo mostrou confiança na decisão do júri.

A venda do Convento de Santa Iria e do antigo Colégio Feminino de Tomar foi adjudicada em definitivo ao Grupo Vila Galé, que vai realizar a reconversão dos edifícios para implementar uma unidade hoteleira. O executivo municipal aprovou a adjudicação em sessão camarária, com cinco votos a favor e um contra de Célia Bonet. Para a vereadora do PSD o processo não decorreu com transparência, embora concorde com a alienação e requalificação dos edifícios.

Anabela Freitas (PS), presidente do município, diz que confia plenamente no júri e na análise que fez das candidaturas. A autarca relembra que depois de se ter aberto uma fase de 30 dias para apresentação de propostas, que foi interrompida por causa da pandemia e reaberta recentemente, apareceram duas pessoas; uma delas com uma proposta formal a representar o Grupo Vila Galé e outra “concorrente” que não apresentou proposta, mas sim um documento que não reuniu condições para ser aceite pois não estava de acordo com o caderno de encargos.

Com esta decisão, os dois imóveis, propriedade municipal, que estão ao abandono há vários anos e em avançado estado de degradação, vão ser reconvertidos num hotel com cerca de uma centena de quartos, localizado junto ao rio Nabão, num investimento total estimado em cerca de dez milhões de euros. Anabela Freitas diz que a aposta no turismo é uma das prioridades do executivo uma vez que desenvolve a economia e permite a criação de postos de trabalho.

Recorde-se que este processo iniciou-se em 2009 quando o presidente da autarquia era Corvêlo de Sousa (PSD). Em Abril de 2010 parte da cobertura do antigo convento ruiu, o que motivou a remoção de todas as coberturas e paredes que ameaçavam desabar e que colocavam em perigo pessoas e bens. Seguiram-se obras de preservação no Convento de Santa Iria, que levaram a investimentos de cerca de 150 mil euros.

Em 2019 o município lançou uma hasta pública para venda dos imóveis que ficou deserta. Nessa altura a autarquia e o Grupo Vila Galé entraram em negociações, com este a apresentar uma proposta a rondar os 700 mil euros. As negociações ficaram suspensas durante cerca de dois anos, tendo sido retomadas recentemente e alcançado finalmente um acordo entre o município e a empresa.

Mais Notícias

    A carregar...