Sociedade | 10-01-2022 10:30

Polémica em Vialonga por causa de concurso de montras de Natal

Polémica em Vialonga por causa de concurso de montras de Natal

Anúncio feito pela câmara de premiar loja que, diz a comunidade, nem sempre tem a porta aberta ao público, revoltou vários concorrentes mas o município garante que as normas do concurso foram cumpridas.

A atribuição do primeiro prémio do concurso de montras de Natal na freguesia de Vialonga à loja “De coisas nascem coisas criativas”, no valor de cinco mil euros, está a deixar revoltados vários comerciantes que participaram no concurso.

O anúncio do vencedor na rede social do município incendiou os ânimos com mais de três dezenas de comentários a serem colocados criticando a decisão e acusando a câmara de ter premiado uma loja que não tem a porta aberta ao público em permanência. Alguns deles foram entretanto apagados pelos seus autores.

O município explicou em resposta a uma comerciante que a questionou sobre o assunto que foi cumprido o regulamento e que a decisão do júri foi soberana. No entanto muita gente não se conforma. “Não percebo como em Vialonga ganha uma montra de uma loja que se mantém 90 por cento do tempo fechada. Não acho justo de forma alguma mas parabéns a todos os participantes”, escreve Lina Batista nos comentários à publicação realizada pelo município. Outros moradores vão mais longe, como Celeste Lopes, que condenou que os prémios sejam sempre “para os afilhados enquanto os outros só servem para pagar impostos”.

A responsável pela loja, Ana Joel Matos, refuta e diz que a loja esteve sempre com actividade e funcionamento, sendo também uma das que foi prejudicada pela pandemia. “A nossa montra foi realizada de preferência com materiais reciclados, foi a nossa escolha, pensada, desenhada e realizada por nós, para mostrar à nossa terra o que sabemos fazer e se a Covid o permitir estaremos de portas abertas ou fechadas mas sempre disponíveis para quem nos quiser visitar”, explicava.

A responsável confirma, no entanto, que por vezes a loja está fechada com o número de telefone na porta por ser pequena. “De Alpriate a Vialonga são só cinco minutos e como a loja é pequena para a segurança de todos assim podemos fazer um atendimento personalizado”, explica a comerciante da loja que vende artesanato e material de pintura. “Somos também um atelier de design gráfico e cenografia e este ano vamos realizar mini workshops de artes para crianças e adolescentes”, refere.

Valorizar o comércio local

Esta é a segunda vez que a câmara dinamiza o concurso de montras de natal com vistas a valorizar e apoiar o comércio local que foi afectado pela pandemia. Mas foi a primeira vez que gerou um amargo de boca na comunidade.

Foi dirigido aos comerciantes de todas as freguesias, em nome individual ou colectivo, que tivessem lojas em funcionamento e com montras visíveis ao público. “Com a decoração de montras alusiva ao Natal, imprimindo um colorido e um ambiente especiais às nossas ruas, esta acção tem como principal objectivo estimular e dinamizar o comércio tradicional numa altura em que muitos estabelecimentos foram fortemente penalizados pela pandemia”, explicou o município. O júri apreciou as montras entre 6 e 26 de Dezembro. Em cada uma das freguesias foram entregues prémios ao vencedor no valor de cinco mil euros, totalizando 30 mil euros em todo o concelho.

Na União de Freguesias de Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa venceu a loja “Flor de Mel”. Em Vila Franca de Xira venceu a loja “Casa das Cópias”. Na União de Freguesias de Alverca do Ribatejo e Sobralinho a vencedora foi a loja “Nanisa” e na Castanheira do Ribatejo a “Estilo Fiel”. Por fim, na União de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz venceu a loja “24 Hortas” de Alhandra.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo