Sociedade | 25-09-2022 09:59

Baratas multiplicam-se e afligem moradores em Azambuja

Urbanizações por toda a vila de Azambuja estão a ser invadidas por baratas. Município tem realizado acções de desbaratização que não resolveram o problema.

Os moradores de algumas zonas da vila de Azambuja estão a queixar-se de uma praga de baratas que tem invadido as habitações e espaços públicos da freguesia. A Câmara de Azambuja, que está a par das queixas, tem feito acções de desbaratização nos colectores, mas as intervenções não têm sido eficazes na resolução do problema que pode acarretar riscos para a saúde pública.
O assunto foi levantado na última reunião do executivo da Câmara de Azambuja pelo munícipe António Pires, que alertou para a presença de baratas no centro da vila, nomeadamente na Rua do Espírito Santo, e pediu uma intervenção à autarquia. O presidente do município, Silvino Lúcio, respondeu que iria averiguar o que está a acontecer para que haja esta proliferação de insectos.
Além de estar a afectar a zona baixa da vila, a praga de baratas também tem motivado queixas no bairro da Onia, urbanização da Fábrica da Cortiça e no bairro da Socasa, garantiu, por sua vez, o vereador do PSD, Rui Corça, que pediu uma “actuação mais concreta e mais forte”. Para o autarca, “as queixas generalizadas”, que provam que grande parte da vila está a ser afectada pela praga, deve-se à ausência de acções de desbaratização atempadas para evitar a proliferação destes insectos.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo