Sociedade | 26-09-2022 09:59

Atribuição de apoios da EDP a instituições acende polémica na Câmara de Azambuja

Apoio camarário de 20 mil euros a instituições que apoiam pessoas com deficiência já não vai avante porque a EDP Renováveis, no âmbito da sua política social, já as apoiou.

A Câmara de Azambuja tinha prevista, à semelhança de anos anteriores, a atribuição de um apoio extra de 20 mil euros às instituições do concelho que prestam apoio a pessoas com deficiência, mas como a EDP Renováveis, através da sua política social, apoiou essas instituições a autarquia já não se vai chegar à frente. A decisão motivou uma discussão acesa na reunião de câmara de 13 de Setembro, entre o presidente do município e os vereadores da oposição à direita que não compreendem como é que uma entidade privada se substitui ao município no pagamento de subsídios previstos no orçamento.
A Cerci Flor da Vida e a Casa do Pombal “A Casa Mãe” foram as duas instituições que prestam apoio a pessoas com deficiência a ser contempladas pelo pacote de apoio da EDP Renováveis, respectivamente com 20 mil e 30 mil euros, ficando assim sem receber o subsídio camarário de 20 mil euros. A discrepância nos valores atribuídos pela EDP foi um dos motivos que levou a vereadora do Chega a levar o assunto à reunião. Inês Louro quis também saber qual o critério de selecção das instituições que receberam o apoio e por que motivo uma empresa privada se substitui à câmara municipal na atribuição desses subsídios.
O presidente do município, Silvino Lúcio (PS), informou que foi contactado pela EDP Renováveis e que o próprio indicou, com “a concordância” dos vereadores com pelouros atribuídos, quais deveriam ser as instituições pelas quais a empresa deveria distribuir o apoio global de 120 mil euros. “O importante é as instituições receberem o dinheiro, a forma como o recebem pouco importa para a discussão”, afirmou o autarca, depois de o vereador do PSD, Rui Corça, voltar a questionar como é que uma empresa se pode substituir à câmara nesta matéria.
Além da Cerci e Casa Mãe foram contempladas a Associação Nossa Senhora do Paraíso (35 mil euros), Junta de Freguesia de Vila Nova da Rainha (20 mil) e Associação Desportos e Recreio “O Paraíso” (15 mil). Sobre o apoio à junta de freguesia, Silvino Lúcio esclareceu que o apoio é uma contrapartida pela construção de uma subestação eléctrica nessa freguesia.
Além deste apoio extra às instituições de apoio à deficiência, a Câmara de Azambuja tem regulamentado um outro apoio para obras que pode ir até 350 mil euros. E este, assegurou o autarca, vai ser pago às instituições. A cerimónia de entrega dos apoios da EDP Renováveis decorreu a 8 de Setembro no auditório do Páteo do Valverde, em Azambuja. Estiveram presentes os representantes das entidades contempladas com o apoio, o CEO da empresa, Hugo Costa, os presidentes de junta, o presidente da câmara e os vereadores do executivo com pelouro atribuído (PS e CDU). Os vereadores do PSD e Chega não foram convidados a estar presentes.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo