Sociedade | 09-11-2022 07:00

Falta de médicos na região só vai melhorar daqui a dois anos

Vila Franca de Xira vai abrir sete balcões SNS 24 no concelho para facilitar a vida a quem precisa de ir ao centro de saúde

Presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo admite que em 42 anos de profissão não se lembra de atravessar uma situação tão complicada. A O MIRANTE diz que o pior já passou no que toca à reforma de profissionais e que a falta de médicos tende a melhorar progressivamente, mas a um ritmo mais lento que o desejável.

É inegável e preocupante o cenário que hoje se vive nos centros de saúde da região, com falta de médicos e de outros meios humanos nas unidades de saúde, e a situação só deverá começar a melhorar daqui a dois ou três anos, no melhor dos cenários. A convicção é de Luís Pisco, presidente do conselho directivo da Administração Regional de Saúde (ARS) de Lisboa e Vale do Tejo.
À margem da sessão de assinatura de um protocolo em Vila Franca de Xira, para a instalação de sete balcões SNS 24 no concelho, o médico admitiu a O MIRANTE que a situação que se vive hoje nos serviços de saúde é preocupante. “É inegável que atravessamos um momento difícil mas estamos numa fase de recuperação. O número de médicos a reformar-se vai começar a diminuir e os jovens médicos vão começar em actividade. Vamos viver esta situação mais um ano ou dois no máximo e depois a situação estabilizará durante muitos anos”, vaticina.
O responsável reconhece, no entanto, que os utentes sentem os problemas hoje e esperar tanto tempo por soluções não é fácil. “Tenho expectativa que as coisas recuperem com brevidade”, disse, lembrando as 200 vagas para médicos abertas na região de Lisboa e Vale do Tejo. Luís Pisco diz ter elevadas expectativas no novo CEO da Saúde, com a separação da actividade política ligada ao Ministério da Saúde da gestão directa dos hospitais e centros de saúde a poder ter vantagens para os utentes.
“Não há nada a perder em experimentar esse modelo”, explica o responsável, que diz nunca ter vivido em 42 anos de profissão uma situação tão complicada na saúde em Portugal. “Só temos duas soluções: ou desatamos a chorar nos ombros uns dos outros ou tentamos minimizar os impactos com soluções que vão de encontro às necessidades dos utentes”, frisou, na apresentação dos novos balcões SNS 24.

Sete balcões SNS 24 em Vila Franca de Xira
Na tarde de 25 de Outubro, foram assinados os protocolos entre a ARS, a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira e o Agrupamento de Centros de Saúde do Estuário do Tejo para a implementação de sete novos balcões SNS 24 no concelho, permitindo aos utentes terem acesso a serviços digitais e de telesaúde de forma mais rápida, próxima e eficiente. Pedir receituário, actualizar dados do utente, agendar exames, marcar consultas e até a possibilidade de teleconsultas são algumas das funcionalidades ao dispor dos cidadãos. A ideia é aliviar a procura nos centros de saúde e tratar de todos os processos administrativos nesses balcões.
As novas lojas vão funcionar nas Lojas do Munícipe de VFX, Alverca, Póvoa de Santa Iria e nos Centros Comunitários de Povos (VFX) e Arcena (Alverca). Os outros dois balcões serão da responsabilidade das juntas de freguesia e funcionarão na delegação da junta do Forte da Casa e na delegação das Cachoeiras. “A falta de médicos é um problema conhecido e que nos próximos anos vai ser colmatado. Mas ainda demorará e por isso temos de dar já as mãos e trabalhar em conjunto para facilitar a vida aos utentes”, defendeu Fernando Paulo Ferreira, presidente do município de Vila Franca de Xira.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo