Sociedade | 09-11-2022 15:00

Vila Franca de Xira não quer aeroporto internacional em Alverca

Pista de Alverca tem utilização anual e até foi palco da primeira apresentação nacional dos novos aviões militares da Embraer

Câmara de VFX diz que o tráfego aéreo pesado traria consequências negativas para uma zona populosa como Alverca e Póvoa de Santa Iria e continua a insistir na captação de pequenos voos executivos.

Numa altura em que se discutem cinco localizações possíveis para o futuro aeroporto de Lisboa, incluindo Benavente e Santarém, o município de Vila Franca de Xira já veio dizer que qualquer um serve menos a hipótese Alverca, que também já chegou a ser falada. Pelo menos no que aos voos comerciais pesados diz respeito, uma posição que não sendo nova vai agora tornar-se oficial depois do presidente do município, Fernando Paulo Ferreira, ter realizado uma reunião de câmara extraordinária para discutir o tema.
O autarca voltou a defender que Alverca não deve receber um aeroporto internacional mas sim pequenos voos e serviços que possam aliviar a pressão sobre o aeroporto da Portela. Acolher aviação executiva, transferir os voos militares de Figo Maduro para Alverca e mudar as operações de manutenção da TAP para Alverca são as ideias do autarca para aliviar, num primeiro momento, a sobrecarga sentida na Portela. Uma solução de curto prazo, diz, enquanto não se chega a uma conclusão sobre o destino a dar ao futuro aeroporto internacional.
“Temos uma pista de grandes dimensões e muitos anos de conhecimento resultante da presença da OGMA e da Força Aérea no nosso território. Temos a alfândega e bons acessos. Seria útil para o país e o concelho se Alverca fosse considerada nas ponderações e estudos feitos sobre o assunto”, defendeu Fernando Paulo Ferreira.
CDU defende Benavente
A CDU, pela voz de Nuno Libório, defendeu abertamente a opção do Campo de Tiro em Benavente, considerando “chocante” e “preocupante” ouvir intenções de utilização da pista de Alverca que possam vir a provocar impactos negativos na população. “O que se está aqui a falar é de sub-desenvolvimento. Uma submissão do poder político aos interesses do grande capital. Este simulacro de discussão aponta para novo adiamento da resolução do problema. Escolher Alverca amplia os problemas e riscos como os que são provocados em Lisboa pela existência de um aeroporto dentro da cidade”, considera.
Opinião divergente tem o vereador Barreira Soares, do Chega, que defendeu “a oportunidade única” de meter Alverca no centro do turismo mundial fazendo da pista o hub Portela-Alverca já por várias vezes noticiado. “Temos de defender estas mais-valias para o concelho e o país. As vantagens de Alverca são avassaladoras se comparadas com o que está em cima da mesa. Alverca tem de estar obrigatoriamente em cima da mesa no estudo para o próximo aeroporto”, defendeu.
Já para a coligação Nova Geração (PSD/PPM/MPT) tanto faz. Ana Afonso considerou de pouca relevância para os interesses de Vila Franca de Xira onde o futuro aeroporto vai ficar desde que, avisou, não fique em Alverca. “Não faz sentido termos aviação comercial pelo transtorno de ruído que iria causar numa zona densa de população”, considerou. No entanto, concorda com os socialistas na captação de voos executivos, militares e das oficinas de manutenção da TAP. “Alverca tem todas as condições para no curto prazo aliviar a Portela”, considerou.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo