Sociedade | 12-11-2022 10:51

Festival de Órgão de Santarém aposta na inovação e diversidade

A Apresentação do FÓS decorreu nas instalações da Diocese de Santarém.

A edição 2022 do FÓS conta com um programa arrojado e inovador, onde a música do órgão se cruza com outras expressões artísticas, como a dança, a poesia, o canto, o cinema e até a gastronomia. A provar nos dois últimos fins de semana de Novembro nas igrejas do centro histórico de Santarém.

O FÓS – Festival de Órgão de Santarém não quer ser apenas mais um festival no calendário de eventos e aposta num programa arrojado, inovador e diferenciado que tem o instrumento que lhe dá o nome como figura central mas abrindo portas ao cruzamento com outras expressões artísticas, como a dança, a poesia, o canto, o cinema, as estátuas vivas e até a gastronomia. O programa vai decorrer nos dois últimos fins de semana de Novembro e as actividades têm como palco as diversas igrejas do centro histórico da cidade que têm órgão.

Pela primeira vez, o FÓS vai contar um organista residente, Ricardo Toste, e vai envolver a participação de diversas associações e projectos culturais da cidade, como o Círculo Cultural Scalabitano, Cineclube de Santarém, Conservatório de Música de Santarém, Schola Cantorum da Catedral de Santarém e Quideia. As actividades começam no sábado, 19 de Novembro, com o Free Organ Day, um percurso de audições que, entre as 10h30 e as 16h50, vai passar pela Catedral de Santarém e igrejas de Marvila, Misericórdia, São Nicolau, Piedade e Alcáçova, com alunos e professores do Conservatório como protagonistas.

Na noite de 19 de Novembro, pelas 21h30, o Concerto Liberdade junta o duo Ricardo Toste (órgão) e Sílvio Vicente (órgão, piano e electrónica), que vai musicar em tempo real as imagens de três curtas metragens de Virgílio Torres. Outro ponto alto será o encerramento do programa, no dia 27 de Novembro, pelas 16h00, na Igreja da Misericórdia, com o Concerto Histórico que junta o organista espanhol Andrés Cea Galán ao grupo coral Cupertinos.

Pelo meio há outros destaques, como a actuação do conceituado organista alemão Jurgen Essl, no dia 25 de Novembro, pelas 21h30, na Igreja de Marvila, acompanhado por um elenco de estátuas vivas do colectivo Quideia que vai representar as quatro estações. Igualmente fora da caixa em eventos deste género é o Recital Gourmet – Petiscos de Organista, um jantar degustativo com Ricardo Toste no órgão, o chef João Correia na cozinha e a soprano Eva Braga Simões no canto. É no sábado, 26 de Novembro, a partir das 20h00, no refeitório da Sé Catedral e no Coro Alto.

Entradas livres com excepção do jantar

O FÓS resulta da parceria entre a Diocese de Santarém, a Misericórdia de Santarém e a Câmara de Santarém e sublima a recuperação dos vários órgãos históricos existentes em igrejas da cidade, pertencentes à Igreja Católica ou à Misericórdia. Na apresentação do programa, o padre Aníbal Vieira, o provedor da Misericórdia, Hermínio Martinho, e o vereador da Cultura da Câmara de Santarém, Nuno Domingos, sublinharam os bons resultados dessa parceria e a mais valia que traz à cidade em termos culturais. Participaram também na sessão o maestro e director artístico Rui Paulo Teixeira e o organista Ricardo Toste.

Todas as actividades são de entrada livre com excepção do jantar, limitado às primeiras quarenta inscrições e que terá um custo individual de 40 euros. As reservas estão a decorrer. O programa integral do FÓS pode ser consultado na internet em www.santaremcultura.pt/.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1587
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo