Sociedade | 15-11-2022 21:00

Nova consulta pública para avaliar impacte ambiental da linha de muito alta tensão entre a Torre Bela e Rio Maior

Novo traçado mais distante de habitações na freguesia de Alcoentre, no concelho de Azambuja, foi exigido pela população e deu origem a um novo estudo e necessidade de nova Avaliação de Impacte Ambiental. Cidadãos podem pronunciar-se até 23 de Novembro.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) lançou uma nova consulta pública para a Avaliação de Impacte Ambiental (AIA) do projecto da linha eléctrica de muito alta tensão (LMAT) entre a Torre Bela, no concelho de Azambuja, e a subestação de Rio Maior. O período de participação termina a 23 de Novembro e o documento contempla a inclusão de um novo traçado a nascente de Alcoentre, mais distante dos aglomerados populacionais.
O Estudo de Impacte Ambiental, que está disponível no site Participa, esclarece que foi efectuada uma reformulação ao estudo anterior tendo sido desenvolvida uma “nova alternativa de traçado a nascente de Alcoentre” devido à “crescente preocupação demonstrada por alguns moradores” de Casal das Boiças, que embora não tenham sido veiculadas nos meios e períodos estipulados para a consulta pública organizaram-se reuniões e esclarecimentos sobre o projecto. Depois de ouvidos os moradores o promotor em articulação com a Câmara de Azambuja preparou um novo projecto de execução para uma alternativa de traçado a nascente, entre a Torre Bela e Vale Judeus, que terá agora que ser sujeita a um novo procedimento de AIA.
O projecto destina-se a conduzir a energia eléctrica que será produzida nas centrais solares fotovoltaicas de Torre Bela e de Rio Maior, “constituindo uma optimização interessante à possibilidade de as duas centrais solares próximas irem partilhar a mesma subestação, posto de corte e linha eléctrica para o escoamento da energia renovável produzida neste local”, refere a APA.
Entre os critérios para a definição do percurso da LMAT está o respeito pela distância de segurança (45m) com outras linhas de muito alta tensão, evitar aproximação excessiva a áreas com povoações ou até mesmo habitações isoladas e evitar áreas de povoamentos de sobreiros e o interior de parcelas de vinhas e de olival. Os promotores do projecto da linha são as empresas CSRTB Unipessoal Lda (uma empresa da NEOEN) e Aura Power Rio Maior, S.A. (uma empresa da Aura Power). A autorização para a implementação do projecto do ponto de vista ambiental é da responsabilidade da APA.
Recorde-se que a 23 de Dezembro de 2020, na sequência de uma polémica caçada no interior da Herdade da Torre Bela, foi suspenso o procedimento de Avaliação de Impacte Ambiental, incluindo a consulta pública, do projecto “Centrais Fotovoltaicas de Rio Maior e de Torre Bela, e LMAT de Ligação”. O procedimento reabriu em Janeiro de 2021.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo