Sociedade | 24-11-2022 21:00

O combatente do Cartaxo que esteve preso e viu a vida por um fio

O combatente do Cartaxo que esteve preso e viu a vida por um fio
Clementina e Manuel Amendoeira estão casados há mais de 60 anos

Manuel Amendoeira tem 80 anos e fez parte do maior batalhão mobilizado para Angola. Natural do Cartaxo, esteve preso duas vezes e teve a vida por um fio muitas mais. Esta é a história de superação do combatente conhecido como “Cartaxo”.

Manuel Amendoeira foi um dos cinco mil militares mobilizados para Angola em 1964, para a Guerra do Ultramar. Quando partiu, o seu filho Francisco tinha três meses; quando voltou tinha três anos. Em Portugal deixou a “rapariga” que lhe arrebatou o coração aos 19 anos, mãe dos seus seis filhos, que está consigo até aos dias de hoje, Clementina Amendoeira. O casal é a prova de que o amor ultrapassa todos os obstáculos, nomeadamente uma guerra e a prisão.
A infância de “Cartaxo”, alcunha pela qual era conhecido, foi passada de “pé descalço”, literalmente; comprou as primeiras sapatilhas aos 14 anos. Os dias eram passados a guardar ovelhas num campo da região ribatejana, onde também pernoitou várias vezes. De vez em quando o pai levava-lhe um pedaço de pão para enganar a fome, mas eram mais os dias em que não tinha de comer. A escola nunca esteve nos seus planos; as razões não eram tanto pela falta de interesse em aprender, mas sim por causa das reguadas acumuladas devido aos erros ortográficos próprios do processo de aprendizagem.
“Eram tantas que chegava a ficar 15 dias sem ir à escola. Para além disso, acho que já sabia mais do que era a vida do que a professora”, brinca Manuel em conversa com O MIRANTE.

*Conheça toda a história na edição semanal em papel desta quinta-feira, 24 de Novembro

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1588
    01-09-2021
    Capa Vale Tejo