Sociedade | 26-11-2022 18:00

Oposição alerta para especulação imobiliária e falta de espaços verdes em Fátima

Oposição alerta para especulação imobiliária e falta de espaços verdes em Fátima
Fátima precisa de mais espaços verdes que fiquem próximo da população, defende a oposição

Plano de Urbanização de Fátima e Plano de Urbanização de Ourém foram aprovados em assembleia municipal, com alguns reparos e alertas da oposição.

A oposição criticou a falta de espaços verdes previstos para Fátima no Plano de Urbanização de Fátima (PUF). Nuno Batista e Filipe Mendes, ambos da bancada do Partido Socialista (PS), lamentaram que a intenção da maioria liderada por Luís Albuquerque (PSD/CDS) na Câmara de Ourém seja “empurrar” os espaços verdes para as pontas da cidade. “Fátima tem muita especulação imobiliária e é preciso pensar bem no PUF para não permitir a venda e compra de terrenos a preços astronómicos e permitir a construção de mais prédios”, alertou Filipe Mendes.
O eleito socialista falava durante a sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Ourém onde foram discutidos e aprovados o PUF e o Plano de Urbanização de Ourém (PUO), que decorreu a 14 de Novembro, em Fátima. O presidente da Câmara de Ourém explicou que o facto de “quase toda a zona que atravessa a Avenida João XXIII ser considerada área de construção não significa que vai ser feita uma construção desordenada. O facto de permitir que se construa até ao sexto piso não quer dizer que seja feita”, garantiu Luís Albuquerque.
O autarca referiu que a ecovia já construída junto ao Santuário de Nossa Senhora de Ortiga e ao Parque Linear do Moimento vai ligar à Avenida João XXIII. Luís Albuquerque considera tanto o PUF como o PUO documentos “fundamentais” para o futuro do desenvolvimento de Ourém e Fátima. O presidente do município recordou que Fátima cresceu e desenvolveu-se muito nos últimos anos e que o plano em vigor estava desactualizado. “Era necessária uma revisão de modo a abrir a cidade ao futuro dotando-a de espaços e locais onde se possam criar novas centralidades, novos espaços verdes e mais condições para maior desenvolvimento”, ressalvou.
O anterior PUF estava em vigor há 17 anos e, segundo Luís Albuquerque, esta segunda revisão é “fundamental” tendo em conta as alterações sociais e económicas da freguesia. É o projecto de cidade que direcciona o futuro de Fátima nos próximos 10 a 15 anos, explicou Luís Albuquerque, acrescentando que o PUF de Fátima inclui um plano de execução que contempla obras no valor de 42 milhões de euros em infraestruturas para a próxima década, nomeadamente reabilitação de estradas e a criação de uma circular externa. A ampliação do estádio municipal de Fátima ou a criação de um parque da cidade também estão previstos.

Ourém nunca teve o desenvolvimento que merecia
Luís Albuquerque considerou o Plano de Urbanização de Ourém ainda mais urgente. “Ourém nunca teve o desenvolvimento que merecia, fruto da ausência de um plano desta envergadura”, declarou. O autarca reforçou que o PUO permite uma maior consolidação de construção onde os terrenos e as áreas dentro da cidade possam ser mais bem aproveitadas e dar rentabilidade aos proprietários e promotores.
Ourém tem actualmente 23 metros quadrados (m2) de área verde por habitante. Com o PUO a área verde vai aumentar para 40m2 por habitante. Um dos objectivos, segundo o presidente do município, é tornar Ourém mais verde, o que vai acontecer com a ampliação do parque urbano da cidade. Ambos os documentos foram aprovados por maioria em assembleia municipal. O PUO não teve votos contra enquanto o PUF teve 29 votos a favor, quatro abstenções e um voto contra.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo