Sociedade | 27-11-2022 10:00

Canja à Vilafranquense é prato único da região mas restaurantes não a querem fazer

Canja à Vilafranquense é prato único da região mas restaurantes não a querem fazer
EDIÇÃO SEMANAL
Alice Clemente e Constantino Vitorino mostraram a O MIRANTE a tradicional Canja à Vilafranquense. Luís Simãozinho e Paula Gil são os rostos principais do restaurante A Carruagem da Póvoa de Santa Iria

Dos 28 restaurantes aderentes à campanha de gastronomia “Sabores do Campo à Mesa” apenas dois estão a fazer a Canja à Vilafranquense, uma marca registada do concelho de Vila Franca de Xira que pouco aparece nas ementas.

Espessa, saborosa, nutritiva e marca registada do concelho, a Canja à Vilafranquense é um prato único mas poucos são os restaurantes que a querem fazer. Dois anos depois de ser apresentada, a canja ainda não se entranhou nos gostos da comunidade. Até final do mês está a decorrer a campanha de gastronomia “Sabores do Campo à Mesa”, que pretende dar a conhecer três pratos típicos do concelho: o torricado de bacalhau, os pratos de coelho e a canja. Mas em 28 restaurantes aderentes apenas dois estão a confeccionar a canja e um deles, a Tasca da Vila, em VFX, liderado por Alice Clemente, só começou a ter encomendas depois de O MIRANTE ir ao espaço fazer reportagem.
“É um prato que não sai barato porque leva muitas carnes e molho inglês, é uma canja fina e forte que fica óptima mas ainda não vendi nenhuma. Só agora comecei a ter algumas encomendas”, lamenta Alice Clemente, que lidera a Tasca da Vila desde Março de 2016. Sempre participou na campanha de gastronomia e diz que o bacalhau é o prato com mais saída. “Há a ideia errada que só se come canja quando se está doente mas não é verdade. Este é um prato reconfortante e não desisto de o fazer”, conta.
A cozinheira insiste que é a vontade de contribuir para a cidade ser melhor e mais atractiva que a faz disponibilizar a canja. “Quero gente em VFX, não quero casas fechadas. Aqui, na Rua Luís de Camões, só há portas fechadas. Está tudo a piorar e quero dar um contributo para mudar isso. É o nosso futuro que está em risco. Quero ver VFX como há 30 anos, cheia de gente, mas para isso é preciso que haja aqui algo que atraia as pessoas”, defende.
Alice, de 55 anos, vive em VFX, levanta-se todos os dias às 05h00, vai ao talho e ao mercado e cozinha na hora. Durante a semana, ao almoço, tem sempre casa cheia. A O MIRANTE deu a provar a famosa Canja Vilafranquense e não há dúvidas que é um prato especial. É um cruzamento entre uma sopa do cozido e uma sopa da pedra e só provando se consegue ter a noção da sua especificidade. É um prato que se pode servir, sozinho, como refeição. Leva carnes desfiadas - frango do campo com miúdos, chouriço, chispe de porco e carne de vaca da alcatra - com massa, louro, alho, cebola, cenoura, molho inglês, tabasco, azeite, limão e hortelã. Uma iguaria que a maioria ainda não descobriu.

A estreia da Carruagem
Pela primeira vez “A Carruagem” está a participar na campanha de gastronomia promovida pelo município. O restaurante da Póvoa de Santa Iria é liderado por Luís Simãozinho desde 2014 e por ter sido a primeira vez optou por oferecer apenas pratos com os quais se sente à vontade: o coelho à caçador e o torricado de bacalhau. Paula Gil é a cozinheira de serviço e a relação preço/qualidade é o que faz com que o espaço seja tão procurado.
“Nasci em VFX e vivo no concelho mas nunca tinha ouvido falar da canja. Como trabalhamos sempre com produtos caseiros, nada leva molhos artificiais, é como se fosse a cozinha da nossa avó e por isso quisemos manter-nos em pratos que dominamos bem”, confessa Luís Simãozinho.
O empresário não acredita que a canja fosse ter muita saída mesmo se a tivesse no menu porque os turistas raramente aparecem. “Trabalho com uma empresa que aluga caravanas e de vez em quando enviam para cá alguns turistas de vários países, mas tirando esses normalmente não aparece ninguém de fora. É pena porque temos uma zona ribeirinha muito bonita para visitar”, defende.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo