Sociedade | 30-11-2022 15:54

Após dois anos a dar prejuízos Tejo Ambiente começa a dar lucro

Após dois anos a dar prejuízos Tejo Ambiente começa a dar lucro

Presidente do conselho de administração da empresa intermunicipal, Luís Albuquerque, garantiu que a criação da empresa foi fundamental para os seis concelhos que a integram.

Após dois anos consecutivos a dar prejuízos a empresa intermunicipal Tejo Ambiente está a começar a dar lucro e os dados serão apresentados no início do próximo ano. A garantia foi dada pelo presidente do conselho de administração da Tejo Ambiente, Luís Albuquerque, que também o presidente da Câmara de Ourém., durante um seminário organizado pela empresa intermunicipal durante a manhã de quarta-feira, 30 de Novembro, no Teatro Municipal de Ourém. Albuquerque sublinhou que criar uma empresa intermunicipal – que engloba os municípios de Ourém, Tomar, Mação, Sardoal, Ferreira do Zêzere e Vila Nova da Barquinha – era um desafio difícil uma vez que os seis concelhos têm realidades diferentes mas mostrou-se fundamental para todos.

O autarca explicou que conseguiram optimizar recursos no valor de 1,5 milhões de euros e mesmo com resultados negativos houve poupança em todos os concelhos. “Nos últimos três anos fizemos um investimento de cerca de 28 milhões de euros sendo que desse valor cerca de 14 milhões de euros foi através de fundos comunitários”, explicou. Houve um aumento da rede de saneamento com 123 quilómetros de colectores, 3.826 ramais, num investimento de mais de 15 milhões de euros.

Está previsto investirem mais de 949 mil euros na ETAR de Seiça que normalmente dá problemas quando chove mais do que o normal. “O nosso objectivo para o futuro é ser uma empresa intermunicipal mais eficiente, mais rentável, com mais qualidade e mais inovadora”, destacou Albuquerque.

O director-geral da Tejo Ambiente, José Santos, que encerrou o seminário, recordou que a Tejo Ambiente aumentou em 5,2% a taxa de cobertura de saneamento num investimento de 25,5 milhões de euros e investiram cerca de 2,2 milhões de euros em eficiência hídrica. “A Tejo Ambiente tenciona investir cerca de 24,5 milhões de euros entre 2023 e 2030 nos serviços de água e saneamento”, concluiu.

* NOTÍCIA COMPLETA NUMA PRÓXIMA EDIÇÃO IMPRESSA DE O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo