Sociedade | 11-12-2022 18:00

Enfermeiras ajudam a ter um parto feliz e sem dor na maternidade de Abrantes

Enfermeiras ajudam a ter um parto feliz e sem dor na maternidade de Abrantes
Curso Gentle Birth (Parto Gentil), que é orientado por duas enfermeiras do Hospital de Abrantes, dão dicas às grávidas sobre como encarar o parto de forma mais positiva

O curso Gentle Birth, oriundo da Irlanda e muito comum no Brasil, é inédito em Portugal e ensina a ultrapassar as dificuldades das grávidas.

É conhecido por três palavras consideradas fundamentais: calma, confiança e controlo. No Hospital de Abrantes as enfermeiras Hermínia Barradas e Paula Carrilhopreparam as grávidas para o lado mais mental do parto e que acaba por ser mais feliz. Já vão no sexto curso, que tem a duração de quatro semanas cada um, e já ajudaram cerca de 60 casais.

Eduarda Catarrinho tem 22 anos e aguarda o nascimento do seu primeiro filho, Jorge, para 20 de Dezembro. Confessa que tenta não pensar no momento do parto mas à medida que a data se aproxima vai ficando mais ansiosa. A jovem da Chainça, concelho de Abrantes, ouviu falar no curso Gentle Birth (Parto Gentil) no Hospital de Abrantes e decidiu inscrever-se. O curso tem a duração de quatro semanas e realiza-se uma vez por semana, sempre às terças-feiras, durante duas horas.
O MIRANTE assistiu à terceira aula do sexto curso e testemunhou a cumplicidade entre grávidas e enfermeiras. O namorado de Eduarda Catarrinho não conseguiu estar presente na sessão mas a jovem garante que já aprendeu truques para lidar com a ansiedade. “Sei que no dia do parto as emoções estão à flor da pele e posso não me recordar de tudo o que aprendi mas o mais importante são os exercícios, a convivência com os outros casais e a troca de experiências”, refere a jovem.
A seu lado está Sandrine Martins, de 37 anos, enfermeira mas agora também participante no curso, que espera, também para 20 de Dezembro, o nascimento do segundo filho, que se vai chamar Martim. Está entusiasmada com o curso Gentle Birth e reconhece que este desenvolve uma vertente mais mental por isso decidiu experimentar. “Ajuda-nos a encarar o parto de forma mais positiva. O meu primeiro parto não foi fácil, embora acabemos por esquecer as coisas. Seis anos depois aqui estou e sinto-me preparada para um parto mais calmo e sereno”, afirma a O MIRANTE, embora não garanta que se vai lembrar de todos os conselhos que vai recebendo.
O curso disponibiliza uma aplicação no telemóvel onde as grávidas têm acesso a meditações e músicas com o intuito de acalmar a ansiedade. Sandrine e Eduarda garantem que essa ferramenta é muito útil e as tem ajudado a acalmar quando estão mais nervosas. Lídia Serras, de Abrantes, garante que a sua personalidade calma poderá ser uma mais-valia na hora do parto. Aos 29 anos aguarda a chegada do primeiro filho, Jaime, para Janeiro. Decidiu inscrever-se no curso para se preparar para o parto. “Quero ter outra visão do parto porque o que ouvimos sempre dos amigos e conhecidos normalmente é assustador. Aprendi a relaxar, a ter pensamento positivo e olhar o parto de forma positiva. Todas precisamos de sentir que somos capazes e ultrapassar situações que nos são desconhecidas. Não penso muito no momento do parto mas há sempre alguma ansiedade”, confessa.

“É fundamental que a mulher se sinta confiante para controlar a dor do parto”
O curso Gentle Birth, que é oriundo da Irlanda e também se faz muito no Brasil, é inédito em Portugal e ensina a ultrapassar as dificuldades das grávidas. É conhecido por três palavras consideradas fundamentais: calma, confiança e controlo. A explicação é da enfermeira Paula Carrilho, que dá os cursos juntamente com a enfermeira Hermínia Barradas, responsável pelo serviço de Obstetrícia. “Este curso é muito vocacionado para a preparação mental do parto. Ter pensamento positivo, empoderar as mulheres para um parto que vai ser feliz e correr bem. Esquecer traumas e medos daquele que é um dos momentos mais importantes da vida de uma mulher”, afirma Paula Carrilho.
A seu lado, Hermínia Barradas recorda a O MIRANTE a experiência do parto do seu único filho, há 31 anos, e não quer que as ‘suas’ grávidas passem pelo mesmo. “É um curso que prepara qualquer mulher para a vida. É fundamental que a mulher se sinta empoderada e cheia de confiança, além de controlar o parto. Aprende o que é a dor do parto e como controlá-la. Era fundamental que todas as mulheres que vão ser mães pudessem ter acesso a este curso”, afirma Hermínia Barradas, enfermeira há 38 anos.

Curso gratuito já beneficiou 60 grávidas

O Hospital de Abrantes já vai no sexto curso tendo o primeiro iniciado em Junho deste ano. Ao todo já passaram pela sala da biblioteca da unidade hospitalar cerca de 60 casais. Há cursos que têm mais inscritos do que outros. No máximo são sempre 10 casais. Normalmente as enfermeiras responsáveis pelo curso também trabalham na sala de partos, o que torna tudo ainda mais confiante. “O feedback que temos das grávidas depois de serem mães tem sido maravilhoso, por isso vale muito a pena termos apostado neste curso que é gratuito e para qualquer mulher”, garante Paula Carrilho.
A enfermeira recorda o caso de uma grávida que teve dois partos “horríveis” e queria que aquele terceiro parto fosse sem dor. Fez o curso da Maternidade de Abrantes e o parto correu lindamente. “Agradeceu-nos imenso e esse é o nosso objectivo. Um parto sem dor, feliz, onde os pais também participam e são elementos importantes”, sublinha. A Maternidade de Abrantes fez cerca de 800 partos em 2022 uma quebra de 1% face a 2021.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo