Sociedade | 19-12-2022 21:00

Marcelo foi a Abrantes, comprou uma raspadinha, e elogiou os museus do concelho

Marcelo foi a Abrantes, comprou uma raspadinha, e elogiou os museus do concelho
EDIÇÃO SEMANAL.
Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido por um banho de multidão no concelho de Abrantes

O MIRANTE acompanhou Marcelo Rebelo de Sousa na visita oficial ao Museu Metalúrgica Duarte Ferreira, no Tramagal, ao Panteão dos Almeida e ao Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (MIAA), em Abrantes, que completou um ano desde a sua abertura.

A visita oficial de Marcelo Rebelo de Sousa a três museus do concelho de Abrantes, no dia 7 de Dezembro, tinha como ponto de partida o Museu da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF), mas o Presidente da República fez questão de começar pela exposição comemorativa do centenário do Tramagal Sport União.
Nas instalações da antiga metalúrgica, entidades e populares receberam a comitiva presidencial num museu distinguido pelo próprio com o prémio de Melhor Museu do Ano em 2018, um ano depois da sua fundação. O presidente aprendeu sobre a história de Eduardo Duarte Ferreira, que nasceu no Tramagal em 1856, e começou por fabricar alfaias agrícolas, tornando-se anos depois um dos maiores industriais portugueses. O presidente gostou do que viu e ouviu, lamentando, no entanto, que existam poucos exemplos no país como o do museu MDF, de preservação da memória e do legado industrial. Manuel Valamatos, presidente da Câmara de Abrantes, ofereceu-lhe em mãos a publicação “1879-1997 - Metalúrgica Duarte Ferreira, uma história em constante metamorfose”, que conta a história da empresa.
O primeiro banho de multidão aconteceu à saída do museu MDF; bombeiros, estudantes e populares não descansaram enquanto não receberam um cumprimento e tiraram uma “selfie” o presidente.
A paragem seguinte foi no Panteão dos Almeida, no Castelo de Abrantes. Marcelo Rebelo de Sousa visitou o espaço ao som da guitarra portuguesa de João Vaz, que foi convidado de imediato pelo Chefe de Estado para actuar no jantar da Casa Civil da Presidência, no Museu da Marinha, em Lisboa. O presidente pediu ao jovem músico e professor abrantino para “tocar exactamente” o que tocou no Panteão dos Almeida, deixando-o surpreendido.
A caminho do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte (MIAA), Marcelo comprou uma raspadinha no quiosque da Esplanada 1.º de Maio e ofereceu-a a uma assistente. “Tenho pouca sorte nestas coisas”, confessou. Cumprimentando todos com abraços e beijinhos, o Chefe de Estado lá fintou novamente o protocolo, entrando subitamente pela Biblioteca Municipal António Botto. Na secção de Política e Direito disponibilizou-se a oferecer alguns dos seus livros à colecção municipal.
No MIAA, que comemora este ano um ano desde a sua abertura, ficou “encantado” com o espólio reunido, tendo sido acompanhado por Fernando Batista Pereira e pela técnica Filomena Gaspar. “O MIAA é muito diversificado, com a colecção municipal e colecções privadas excepcionais. É um museu muito actual. Foi muito gratificante, por mim ficaria mais tempo, adoro museus. Noutras encarnações fui presidente de uma fundação que tinha um palácio, um museu, uma biblioteca e cinco castelos. Portanto imaginem como eu gosto dessas realidades”, partilhou.

Um novo museu para Abrantes
Manuel Valamatos era um presidente de câmara satisfeito no final da visita de Marcelo Rebelo de Sousa, referindo que está para breve a inauguração do Museu de Arte Contemporânea Charters de Almeida, no antigo Edifício Carneiro, um “fechar de ciclo da constelação de museus” de Abrantes. “A presença do senhor Presidente da República é também um sinal de esperança e de motivação, algo que nos pode impulsionar a fazer mais e melhor”, considerou, destacando o grande investimento municipal na rede de museus.

Marcelo Rebelo de Sousa visitou Ourém no dia do seu aniversário

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve na segunda-feira, 12 de Dezembro, numa visita ao concelho de Ourém para participar numa aula/debate, percorrer uma parte da área destruída pelos incêndios do Verão e uma passagem pelo Castelo, situado na Vila Medieval.
Marcelo Rebelo de Sousa foi recebido pelo presidente da Câmara de Ourém, Luís Albuquerque, e por vários autarcas do concelho. Na aula/debate estiveram presentes centenas de alunos dos 11.º e 12.º anos, do ensino regular e profissional, e vários professores. Foram debatidos vários temas, como a emigração dos jovens portugueses, desemprego, ensino português, cultura, inflação, preço da habitação para jovens estudantes universitários e a prestação de Portugal no Mundial 2022.
O Chefe de Estado esteve nas áreas ardidas, nomeadamente numa casa de primeira habitação, que ficou totalmente destruída pelos incêndios deste Verão, na Aldeia de Santa Teresa, na União de Freguesias de Freixianda, Ribeira do Fárrio e Formigais. Marcelo Rebelo de Sousa prometeu à família regressar quando a habitação estiver recuperada, sendo que Luís Albuquerque adiantou que espera iniciar a recuperação da casa no início do primeiro trimestre de 2023.
Marcelo Rebelo de Sousa terminou a passagem pelo concelho com a visita ao Castelo e Paço dos Condes, recentemente alvo de obras de recuperação, onde está patente a exposição “40 anos do processo-crime do atentado de 12 de Maio de 1982 contra o Papa João Paulo II”, alusiva ao mediático processo judicial e à tentativa de atentado contra o Papa João Paulo II, em Fátima, em Maio de 1982.
A visita ficou também marcada pelo aniversário do Presidente da República, na qual teve direito, entre muitas felicitações, a um bolo confeccionado pelos alunos da Escola de Hotelaria de Fátima.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo