Sociedade | 25-12-2022 10:00

Novos carregadores de eléctricos em VFX começam a chegar no final de Janeiro

Novos carregadores de eléctricos em VFX começam a chegar no final de Janeiro
FOTO CMVFX

Município assinou os contratos para a instalação e exploração de novos carregadores de carros eléctricos no concelho. Dos actuais sete o concelho vai passar a dispor já no próximo ano de 63 postos de carregamento.

Foram assinados a 21 de Dezembro os contratos para a instalação e exploração da primeira fase de novos carregadores para viaturas eléctricas no concelho de Vila Franca de Xira que vão começar a ser instalados por todo o território já a partir do final de Janeiro de 2023.

A União de Freguesias da Castanheira do Ribatejo e Cachoeiras passará a contar com 3 novos postos de carregamento (ficando no total com seis pontos de carregamento), Vila Franca de Xira com 6 (num total de 12), a União de Freguesias de Alhandra, São João dos Montes e Calhandriz recebe 2 novos postos(somando um total de 4) e a União de Freguesias de Alverca do Ribatejo e Sobralinho ficará com 18 novos postos de carregamento num total de 27.

Já na União de Freguesias da Póvoa de Santa Iria e Forte da Casa passarão a 8 pontos de carregamento, 6 novos e 2 existentes e, por fim, em Vialonga, serão instalados 3 postos de carregamento, materializando-se em 6 pontos de carregamento.

A colocação destes 28 novos carregadores para automóveis eléctricos no concelho, recorde-se, vai render até 60 mil euros por ano de retorno financeiro aos cofres municipais. Um valor que sobe para 600 mil euros se for considerada a duração total da concessão que é de dez anos. A proposta foi aprovada por maioria em reunião de câmara com os votos contra do Chega e da CDU.
A proposta não reuniu consenso na câmara devido ao facto de isentar os operadores de taxas de ocupação do espaço público para instalação, operação e exploração desses pontos de carregamento. Também os trabalhos de intervenção no subsolo municipal e condicionamentos de trânsito não vão ter custos para os operadores.
“Apesar de concordar com a medida não podemos deixar de registar a importância destes operadores ficarem isentos do pagamento de taxas. É a mesma câmara que nega isenções de ocupação da via pública aos comerciantes locais, situação pela qual não podemos dar o nosso voto favorável”, lamentou Nuno Libório da CDU.

Já Barreira Soares, do Chega, lamentou a extensão do contrato. “Abrange três mandatos e não tem em conta a evolução tecnológica que se avizinha. É um absurdo. Não podemos condicionar 57 lugares para depois apenas os ricos os poderem usar”, criticou.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo