Sociedade | 27-12-2022 20:43

Utentes de outros concelhos sufocam SAP de Benavente

Directiva que permite aos moradores dos concelhos vizinhos como VFX, Alenquer e Azambuja deslocarem-se a Benavente quando não tiverem médico está a gerar problemas e município pede soluções.

A Câmara de Benavente está alarmada com a decisão do Agrupamento de Centros de Saúde do Estuário do Tejo (ACES) de enviar para o Serviço de Atendimento Permanente (SAP) da vila os utentes de outros concelhos vizinhos que precisem de consultas ou não tenham médico e apela ao bom senso dos gestores de saúde para reverter a situação.

O município avisa mesmo que a sobrecarga é tal que a manter-se haverá médicos que já estão a mostrar intenção de abandonar o serviço, algo que Carlos Coutinho, presidente da câmara, considera poder vir a ser "altamente penalizador".

O autarca já pediu esclarecimentos à directora do ACES do Estuário do Tejo, Sofia Theriaga, por causa dessas queixas de médicos e utentes. Esse aumento da procura de utentes de outros concelhos ao SAP de Benavente, considera a câmara, somado à falta de médicos que já existe naquele território, tem provocado um aumento substancial da afluência ao serviço, havendo médicos que atendem mais de 90 pessoas por dia.

A indignação tem aumentado e por isso a Câmara de Benavente apelou calma aos utentes, em comunicado, “para não direccionarem os protestos e a revolta para os profissionais de saúde do SAP”. Carlos Coutinho explica que já foi realizada uma reunião com a directora do ACES, o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Benavente e o comandante da GNR sobre o assunto, não se sabendo ainda das conclusões do encontro. Recorde-se que o SAP funciona através de um protocolo estabelecido com a Santa Casa, sendo esta entidade responsável pelo seu funcionamento 24 horas.

No documento o autarca garante que tem vindo a desenvolver iniciativas para contribuir para a fixação de médicos nas freguesias da Barrosa, Benavente e Santo Estêvão o que admite “não estar a ser fácil”. Recorde-se que na área de abrangência do ACES (Benavente, Vila Franca de Xira, Azambuja, Arruda dos Vinhos e Alenquer) faltam cerca de 60 médicos e por isso quase 100 mil utentes estão privados de acompanhamento de médico de família.

Autarca pede bom senso no acesso às urgências

No comunicado é referido que o acesso ao SAP não se destina a "renovar receituário, baixas médicas ou pedir e mostrar exames” mas sim apenas para aceder em caso de doença aguda ou agudização de doença crónica de utentes sem médico. Está também vedada a inscrição de doentes com médico de família atribuído no SAP de Benavente, a não ser em situações de risco de vida. Já os médicos ficam responsáveis por atender quatro pacientes por hora.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo