Sociedade | 03-01-2023 11:15

Filas de duas horas de espera na Ponte da Chamusca

Filas de duas horas de espera na Ponte da Chamusca
FOTO ARQUIVO

Trânsito na Ponte Dr. João Joaquim Isidro dos Reis tem estado condicionado na manhã de terça-feira, 3 de Janeiro, provocando filas de espera com duração de mais de uma hora. Condutores queixam-se de falta de acção das autoridades.

O trânsito na Ponte Dr. João Joaquim Isidro dos Reis, vulgo Ponte da Chamusca, tem estado condicionado durante a manhã desta terça-feira, 3 de Janeiro, causando filas de cerca de duas horas de espera. A informação foi transmitida a O MIRANTE por um utilizador diário da travessia, que acrescentou estarem a existir muitas dificuldades para a Guarda Nacional Republica realizar a gestão adequada do tráfego.

Nos últimos dias têm estado a decorrer trabalhos de reparação de estrada na Estrada Nacional 118, junto à antiga fábrica de tomate da Spalil. Há semáforos nessa zona a regular o trânsito, mas os problemas surgem ao chegar ao tabuleiro da ponte, onde os semáforos que ali foram colocados há vários anos continuam desligados. Como os militares da GNR estão destacados para a zona das obras, têm sido os condutores a controlar a entrada e saída de veiculos pesados no tabuleiro, razão principal para a ocorrência de congestionamentos.

A fila de espera para realizar a travessia , que une o concelho da Golegã ao da Chamusca, foi superior a dois quilómetros, num sentido e no outro. Segundo contou a O MIRANTE um outro utilizador, demorou cerca de duas horas a realizar o percurso de casa, na Chamusca, ao trabalho, em Torres Novas.

O facto de o tabuleiro da ponte ser estreito é motivo para, quase diariamente, ocorrerem congestionamentos de tráfego que demoram horas para serem resolvidos. A distância entre as duas extremidades da ponte também é outro factor que, principalmente em dias em que as condições de visibilidade são más, condicionam a passagem dos veículos.

Os problemas da Ponte da Chamusca já foram depatidos na Assembleia da República, quando o deputado socialista eleito pelo círculo de Santarém, Hugo Costa, levou o tema das acessibilidades no concelho da Chamusca, nomeadamente em relação aos veículos pesados que se dirigem para o Eco Parque do Relvão. Para o também presidente da Assembleia Municipal de Tomar é necessário encontrar uma solução que garanta mais segurança no transporte dos resíduos perigosos para o Relvão sublinhando que o constrangimento rodoviário na ponte deve ser resolvido para o bem da população.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo