Sociedade | 10-01-2023 07:00

Concurso para demolir jardim-de-infância no Entroncamento novamente deserto

Concurso para demolir jardim-de-infância no Entroncamento novamente deserto
Jardim-de-infância foi construído há 15 anos e custou cerca de 1,2 milhões de euros

A Câmara do Entroncamento pretende gastar 2,1 milhões de euros na demolição e reconstrução do Jardim-de-Infância Sophia de Mello Breyner Andresen, alegando razões de segurança, apesar de um relatório do LNEC não considerar imprescindível essa opção radical.

O concurso público para a empreitada de demolição do Jardim-de-Infância Sophia de Mello Breyner, no Entroncamento, ficou deserto pela segunda vez. A informação foi dada pelo presidente do município, Jorge Faria (PS), na última assembleia municipal. O autarca acrescentou que vão lançar um novo concurso público para avançar com a empreitada. Já em Outubro de 2022 o concurso público tinha ficado deserto. A bancada do PSD lamentou, mais uma vez, esta decisão. Os social-democratas consideram que seria melhor requalificar o espaço e não demolir mas a maioria socialista mantém-se irredutível.
O processo administrativo para demolição e reconstrução do estabelecimento escolar está a decorrer apesar das críticas da oposição. Recorde-se que em Março de 2021 o município decidiu reencaminhar as crianças para outros estabelecimentos e demolir o edifício na sequência de um relatório do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC) que apontava falta de condições de segurança no imóvel, que há 15 anos custou cerca de 1,2 milhões de euros.
Na reunião camarária de 19 de Abril de 2021 Jorge Faria levou uma proposta para se avançar com a demolição do imóvel e ratificar o encerramento do jardim-de-infância. A cinco meses das eleições autárquicas de 2021 o autarca decidiu avançar com a demolição do edifício por existirem “demasiados constrangimentos para que a opção de reabilitação seja mais económica”, disse na altura. A Câmara do Entroncamento vai gastar 2,1 milhões de euros na demolição e reconstrução do Jardim-de-Infância Sophia de Mello Breyner Andresen apesar de um relatório do LNEC não considerar imprescindível essa opção radical e até abrir a porta a outras soluções.
A questão tem dividido o executivo camarário com o PS e o vereador do Chega a serem a favor da demolição do edifício enquanto os vereadores do PSD, partido que estava no poder quando o jardim-de-infância foi construído, estão contra. Os social-democratas defendem a realização de um estudo custo-benefício que aponte qual a solução técnica economicamente mais vantajosa: a da demolição ou a da reabilitação do imóvel. Essa é também a opinião de um estudo do LNEC a que O MIRANTE teve acesso. No documento afirma-se que a solução a adoptar para o edifício deve ter em conta as conclusões de um estudo custo-benefício que equacione diversas alternativas incluindo a reabilitação e a reconstrução.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo