Sociedade | 15-01-2023 19:56

APA ainda sem data para remover jacintos de água do Sorraia

Rio Sorraia na Aldeia do Peixe, em Benavente, coberto de jacintos aquando da operação de limpeza levada a cabo pela APA
FOTO ARQUIVO

A solução definitiva para tirar esta planta invasora do Rio Sorraia ainda não passou do papel. A Agência do Ambiente diz que o assunto está a ser estudado com a “comunidade científica”.

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) não se compromete com datas para uma solução definitiva para a remoção dos jacintos de água do Rio Sorraia. Em declarações a O MIRANTE o vice-presidente da APA, José Pimenta Machado, não sabe se no Verão deste ano já é possível ter o problema resolvido. "O que posso garantir é que estamos a construir uma solução com Coruche e Benavente. Só quando me sentar à mesa com os dois municípios e a solução estiver fechada é que será divulgada publicamente”, afirma.

A solução para esta planta invasora, manual ou mecanizada, tem que ser rápida e definitiva, para que os jacintos não proliferem no rio. “É necessário uma estrutura organizada para encontrar a solução e esse trabalho está a ser feito, com o envolvimento da comunidade cientiíica”, refere José Pimenta Machado.

A praga de jacintos de água, que afecta a fauna e flora, sobretudo no Verão, num troço de cerca de 18 quilómetros do rio Sorraia, entre Coruche e Benavente, é um problema que começou a ganhar maiores proporções a partir do ano de 2017. Mas já em 2019 se falava numa solução conjunta envolvendo a APA e os dois municípios.

De acordo com a Administração da Região Hidrográfica do Tejo e do Oeste a planta não é tóxica para pessoas e animais, mas pode provocar danos graves na qualidade da água.

Mais desenvolvimentos na edição impressa de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo