Sociedade | 18-01-2023 07:00

Autarcas da Lezíria descontentes com Governo em relação aos serviços de saúde

O encerramento intermitente de serviços no Hospital Distrital de Santarém, devido à falta de médicos, é um dos pontos que está a exasperar os autarcas. Na última reunião de câmara de Santarém o Governo foi acusado de estar a falhar às populações.

Os autarcas da Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT) estão descontentes com a resposta do sistema público de saúde na região e aguardam pela resposta do ministro da Saúde a um pedido de reunião feito há já algum tempo, ainda nos tempos de Marta Temido como ministra da pasta. Na última reunião do executivo da Câmara de Santarém, o presidente do município, Ricardo Gonçalves (PSD), deixou críticas à demora no agendamento dessa reunião com Manuel Pizarro, sublinhando que os autarcas são eleitos pelo povo e por isso “têm que ser respeitados”. Ricardo Gonçalves recordou que já em 2013 havia expressado críticas semelhantes, dirigidas ao então ministro da Saúde, Paulo Macedo, que integrava um Governo PSD/CDS, por demorar a responder ao pedido de audiência feito pelos autarcas da CIMLT, igualmente num contexto de dificuldades na resposta por parte do Serviço Nacional de Saúde.
Pouco depois da reunião de câmara, Ricardo Gonçalves reforçou a mensagem na sua página no Facebook: “Em 2014 critiquei o então ministro da Saúde, Paulo Macedo, por não reunir com o município de Santarém devido a diversos problemas da altura no HDS. Hoje há novos e diversos problemas no HDS e já vários municípios pediram reuniões, há muitos meses, quer à ex-ministra Marta Temido quer ao actual ministro Manuel Pizarro, e reina de forma vergonhosa o silêncio. É lamentável que ministros que são nomeados evitem reunir com os autarcas que foram eleitos pelo povo, e que querem levar até eles a voz do descontentamento e preocupação crescente pela ausência de cuidados de saúde adequados à população em geral, em diversas especialidades e serviços do HDS. Não iremos desistir de ser ouvidos, nem aceitar a normalização das falhas na área da saúde no concelho e na região”.
No fim-de-semana de 7 e 8 de Janeiro o Hospital Distrital de Santarém (HDS) não teve a funcionar o bloco de partos e o Serviço de Urgência de Ginecologia e Obstetrícia por determinação da direcção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS) apontando como alternativas os hospitais de Abrantes e Caldas da Rainha. Essa situação, que tem acontecido com alguma frequência, mereceu críticas contundentes na reunião do executivo da câmara de Santarém, com o vice-presidente do município, o social-democrata João Leite, a dizer que o que aconteceu “é a prova de que o Governo está a falhar à população”. E reforçou: “Em Santarém estamos a sofrer pelos cortes claros que estão a acontecer no SNS”:
Outro vereador do PSD, Diogo Gomes, referiu que “não se pode normalizar o fecho dos serviços públicos de saúde” considerando que estes anúncios de encerramento de serviços criam ansiedade entre a população designadamente entre as famílias que esperam bebés. Os eleitos do PSD deixaram no entanto palavras de apreço ao trabalho desenvolvido pelo conselho de administração e profissionais do Hospital Distrital de Santarém referindo que na origem dos problemas estão questões que os ultrapassam.
Antes, o vereador do Chega já dissera ser incompreensível que um hospital de uma capital distrital tenha de fechar serviços por falta de médicos questionando o que pensava o presidente da câmara fazer perante essa realidade. Pedro Frazão, que é também deputado à Assembleia da República, disponibilizou-se a acompanhar os autarcas da CIMLT na reunião que vier a ser agendada com o ministro da Saúde, Manuel Pizarro, governante que está no cargo desde 10 de Setembro de 2022.

Manuel Pizarro garante que tem “enorme respeito” pelos autarcas

O ministro da Saúde, Manuel Pizarro, garantiu na terça-feira, 10 de Janeiro, que tem um “enorme respeito” pelos autarcas e que pretende receber “o mais rapidamente possível” a Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT). “Tenho um enorme respeito pelos autarcas que são essenciais à melhoria dos serviços de saúde”, disse o governante aos jornalistas após uma visita a unidades dos cuidados de saúde primários e hospitalares em Portalegre.
Manuel Pizarro reagia às críticas do presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves, que na segunda-feira pediu ao ministro da Saúde para que “respeite os que são eleitos” criticando a ausência de resposta ao pedido de marcação de uma reunião feito pela CIMLT. “O que posso garantir é que vou, o mais rapidamente que for possível, receber também os autarcas da Lezíria e o autarca de Santarém. Não haja nenhuma dúvida que a porta do Ministério da Saúde está aberta para este diálogo, que é muito importante”, sublinhou..

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo