Sociedade | 22-01-2023 21:00

Projecto inovador pode ressuscitar Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes

Projecto inovador pode ressuscitar Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes
Terrenos da Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes, concelho de Santarém, sem qualquer uso há mais de 20 anos, podem agora ter utilidade com empresa que pretende instalar-se no local

Os terrenos da Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes, sem qualquer préstimo há mais de duas décadas, podem finalmente ter utilidade.

A Câmara de Santarém vendeu uma parcela à empresa EntoGreen, que pretende avançar com uma unidade industrial ligada ao fabrico e comercialização de produtos com base em insectos.

O investimento que a Câmara de Santarém fez há quase três décadas na compra dos terrenos para criar a Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes pode finalmente ter alguma utilidade, caso se concretize a intenção da empresa EntoGreen em instalar ali uma unidade industrial. Para já, o município aprovou a alienação de um terreno à empresa com vista à execução do projecto “InsectERA – A ERA da indústria dos insectos”, financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). Prevê-se a instalação de três unidades produtoras de insectos, um centro logístico e um centro produtor de quitosano. Com características inovadoras a nível nacional o projecto prevê a criação de centenas de postos de trabalho directos e indirectos.
Caso se confirme, será o primeiro projecto a instalar-se nos terrenos adquiridos no final do século XX pelo município escalabitano. Chegou a falar-se na altura na instalação de uma unidade industrial de processamento de carnes do grupo Sonae, mas tal não aconteceu. Outros possíveis investimentos também ficaram pelo caminho.
O presidente da Câmara de Santarém recorda que a localidade de Pernes sofreu durante décadas problemas de poluição ambiental e frisou que a criação de indústrias como esta, dedicadas à valorização de sub-produtos vegetais, contribuirá para a criação de novas oportunidades de emprego e promoção da economia do concelho”.
A InsectERA aposta na industrialização e comercialização de produtos com base em insectos, tanto na área da alimentação animal e humana como nas indústrias da cosmética ou dos bioplásticos, entre outros. Em Junho de 2022 inaugurou uma unidade de investigação em Santarém,
Durante a apresentação da proposta, na reunião de câmara de 9 de Janeiro, o vice-presidente da Câmara de Santarém, João Leite, mostrou-se convicto de que este investimento vai contribuir para o desenvolvimento económico do concelho e da região gerando riqueza e melhoria da qualidade de vida da população.
A Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes terá ainda capacidade para albergar outras unidades agroalimentares que contribuam para a criação de circularidade e parcerias promovendo a partilha de recursos entre as empresas instaladas.

“O estranho caso da Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes”

Na edição de 19 de Outubro de 2011 O MIRANTE publicou uma reportagem com o título “O estranho caso da Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes”, onde se relatava que muitos anos após terem sido adquiridos pela Câmara de Santarém, os 11 hectares de terreno para essa área empresarial continuavam, e continuam, por ocupar. Os terrenos custaram 45 mil contos à época (hoje cerca de 225 mil euros).
As terraplanagens que foram sendo feitas ao longo dos anos são os únicos indícios de que ali se pretendeu criar uma zona empresarial. O processo nasceu torto e nunca mais se endireitou. A maioria PSD que governa o município desde 2005 sempre culpou as gestões socialistas pelo mau negócio feito. Desde logo devido ao facto de grande parte da área ser muito irregular e acidentada, o que obrigaria a dispendiosas operações de movimentação de terras para permitir a edificação de construções. Depois porque a câmara, em 2002, vendeu 55 % dos melhores lotes a apenas duas empresas, por preços simbólicos, que não instalaram ali qualquer unidade.
Os lotes que sobraram eram numa área muito acidentada em que, só a preparação dos terrenos, a preços de 1998, orçava em 252 mil contos (mais de um milhão e 250 mil euros). Foi por isso que, em 2008, a Câmara de Santarém decidiu reduzir a área da ZDE de Pernes através da revisão do Plano de Pormenor mandado conceber para essa área. Chegou, aliás, a ser alvitrada a deslocação da ZDE mais para sul desistindo-se daquele projecto.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1597
    01-02-2023
    Capa Médio Tejo