Sociedade | 25-01-2023 18:00

Meio milhão de euros para ajudar quem sofreu com as cheias de Dezembro em VFX

Meio milhão de euros para ajudar quem sofreu com as cheias de Dezembro em VFX
Cheias de Dezembro causaram prejuízos elevados e Alverca foi a localidade mais afectada onde os moradores do Brejo perderam boa parte dos seus pertences

Município de Vila Franca de Xira anunciou 500 mil euros para dar uma primeira resposta a quem sofreu danos materiais no final do ano passado por causa das cheias e do mau tempo. Prejuízos totais apurados são de 9 milhões e 200 mil euros.

O município de Vila Franca de Xira não vai esperar pela chegada dos apoios do Governo e anunciou na última semana um programa de emergência para apoiar já quem sofreu danos materiais relevantes nas cheias de Dezembro. O pacote financeiro tem o valor de meio milhão de euros. A verba destina-se a financiar perdas que não vão ser co-financiadas pelo Estado ou pelas seguradoras.
O anúncio foi feito pelo presidente do município, Fernando Paulo Ferreira, na última reunião de câmara, onde revelou que a estimativa total dos custos sofridos no concelho com as intempéries foi de 9 milhões e 200 mil euros. A maioria dos estragos foi sentido em infraestruturas e equipamentos municipais, mas houve também danos avultados em habitações e actividades económicas, com prejuízos a rondar os 600 mil euros.
A ideia da câmara é acelerar os apoios enquanto não chega o dinheiro do Governo. “Ainda esta semana estive numa nova reunião com a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional e os restantes presidentes da Área Metropolitana de Lisboa para irmos afinando este processo”, informou Fernando Paulo Ferreira. O fundo de apoio é apenas para danos comprovados que se inscrevam no quadro legal a que os municípios estão obrigados e a proposta do programa de emergência vai a discussão e aprovação na reunião de câmara agendada para 25 de Janeiro.
A cidade de Alverca foi das mais afectadas pelas cheias causadas pela chuva intensa. Apartamentos inundados, garagens com água até ao tecto, carros submersos e lojas de comércio inundadas foram alguns dos cenários vividos nas madrugadas de 7 e 13 de Dezembro. Tal como O MIRANTE noticiou, os casos mais complicados foram vividos na zona do Brejo, onde a água galgou a Ribeira da Silveira e inundou nove automóveis que estavam dentro de garagens, incluindo dois da Associação para a Integração de Pessoas com Necessidades Especiais.
Nem o estaleiro da Junta da União de Freguesias de Alverca e Sobralinho escapou às inundações, ficando alagado com mais de metro e meio de água, o que causou estragos em seis viaturas, na varredora mecânica, colunas de som e material de carpintaria, serralharia e pintura. O Governo pediu um levantamento dos danos totais em todos os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa que foram afectados até 15 de Janeiro, para agilizar mecanismos de apoio à comunidade, como foi pedido pelas autarquias.
Em apenas seis dias, a Protecção Civil Municipal registou 175 ocorrências em todo o concelho, entre inundações, situações de movimentos de terras e deslizamentos, limpeza de vias, quedas de árvores e quedas de estruturas. No dia 8 de Dezembro seis pessoas ficaram desalojadas e tiveram de ser temporariamente instaladas em habitações municipais.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1596
    11-01-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1596
    25-01-2023
    Capa Médio Tejo