Sociedade | 30-01-2023 07:00

Estrada centenária na Vala do Carregado é dor de cabeça

Estrada centenária na Vala do Carregado é dor de cabeça
Moradores temem que um destes dias a Estrada da Vala venha a ser palco para acidentes graves

Autarca e moradores pedem intervenção do município de forma a solucionar os problemas de circulação sentidos na Estrada da Vala, que há muito precisa de obras. Passagem frequente de camiões e de outros veículos pesados na estrada centenária também não ajuda.

Quem passa pela primeira vez na Estrada da Vala, na Vala do Carregado, Castanheira do Ribatejo, certamente não se esquecerá da experiência desagradável que vai viver. Ao longo de quase um quilometro a estrada centenária de calçada portuguesa é uma autêntica armadilha para os mais incautos devido às irregularidades no piso que, além do ruído, tem provocado problemas nas viaturas de quem ali circula mais depressa.
Norberto Armador tem 74 anos, mora nas imediações da Estrada da Vala desde que nasceu e conta a O MIRANTE que a situação tem vindo a piorar depois da criação do núcleo de empresas de distribuição e fábricas no local, pois passou a ser constante a passagem de camiões com os reboques carregados, o que tem pressionado ainda mais a via. “De há 20 anos para cá os camiões foram andando cada vez mais por aqui e a estrada de calçada que não foi feita para aguentar tanto peso começou a afundar e a criar desníveis”, comenta.
Os moradores, como conta, já estão habituados aos problemas e como tal abrandam durante todo o caminho. Mas no decorrer da reportagem O MIRANTE presenciou, com Norberto Armador, vários veículos em velocidade excessiva que ao passar pelas lombas e pelos desníveis acabavam por raspar e, em alguns casos, bater com a parte inferior do carro. “Basta esperar 20 ou 30 minutos a observar e vemos carros a bater com a parte de baixo, a rebentar molas e o cárter e depois a vê-los parar ao fundo da rua quando percebem o que se passou e terem de chamar o reboque”, confirma.
O excesso de velocidade é outro dos problemas da via com poucos condutores a respeitarem os limites impostos por esta cruzar o interior da localidade. Mário Baptista, presidente da União de Freguesias de Castanheira do Ribatejo e Cachoeiras, conta que há vários anos que o assunto é debatido e um problema constante em cima da mesa. O estado da estrada preocupa o autarca e foram tomadas algumas medidas mitigadoras junto do município, incluindo a proibição da passagem de camiões e outros veículos pesados pela estrada, mas poucos condutores respeitam essa proibição. “Todos sabemos que continuam a passar, tanto camiões como autocarros”, lamenta Mário Batista.
Contactada por O MIRANTE, a Câmara de Vila Franca de Xira explica que a Estrada da Vala está inserida na Estrada Nacional 1-3 cuja jurisdição pertence à Infraestruturas de Portugal. No entanto, informa que foi feita uma intervenção na estrada por parte do município aquando da requalificação do rio Grande da Pipa e que consistiu na execução do passeio complementada com uma nova rede de drenagem.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo