Sociedade | 30-01-2023 21:00

Morreu a mãe que foi esfaqueada pela filha no Porto Alto

Idosa esfaqueada pela filha foi para um lar depois de ter tido alta hospitalar. Acabou por morrer três meses após o ataque e depois de o seu marido não ter resistido aos ferimentos. Tânia Ferrinho pode ver a sua moldura penal agravada.

A idosa que foi esfaqueada pela filha no quarto onde se encontrava acamada morreu ao fim de três meses após o ataque brutal que também terá tirado a vida ao seu marido em Dezembro passado. Tânia Ferrinho, suspeita de ter atacado à facada os seus progenitores, está em prisão preventiva indiciada por dois crimes de homicídio na forma tentada, mas pode ver a moldura penal agravada caso se comprove que as mortes dos idosos se deveram às lesões causadas pelas agressões.
No dia do crime, 10 de Outubro de 2022, a idosa foi encontrada por dois vizinhos escondida debaixo da cama completamente ensanguentada. “O chão era um tapete de sangue; a cabeça parecia desfeita”, contou na altura um vizinho a O MIRANTE. No total, a suspeita desferiu 17 facadas aos seus pais, com os quais vivia num apartamento na Rua General Vasco Gonçalves, no Porto Alto, concelho de Benavente.
Tal como O MIRANTE tinha noticiado no início do mês de Janeiro, a idosa, que antes do ataque já padecia de problemas de saúde e tinha mobilidade reduzida, encontrava-se a recuperar numa estrutura residencial para pessoas idosas, onde era visitada por familiares. O crime, recorde-se, aconteceu depois de vários episódios de violência doméstica que eram do conhecimento da vizinhança, autoridades e tribunal que, inclusive, tinha condenado a mulher, de 42 anos, a pena suspensa e aplicado a medida de afastamento dos progenitores que não foi respeitada.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo