Sociedade | 30-01-2023 10:00

Obras em estacionamento da estação da Póvoa de Santa Iria começam em 2023

Obras em estacionamento da estação da Póvoa de Santa Iria começam em 2023
Condutores ficam incapazes de estacionar na maior parte do espaço sempre que chove e já houve quem chegasse do trabalho e visse o carro cercado por água

Sempre que chove com mais intensidade o parque de estacionamento, que serve milhares de pessoas que diariamente se deslocam para o interface rodo-ferroviário da Póvoa de Santa Iria, fica inutilizado. Câmara de VFX espera que obras arranquem este ano.

Em breve o charco em que fica transformado o parque de estacionamento que serve o terminal rodo-ferroviário da Póvoa de Santa Iria será uma miragem com as obras de melhoria do espaço agendadas para este ano. Essa é, pelo menos, a expectativa da Câmara de Vila Franca de Xira, dona do terreno e que explica a O MIRANTE estar agora a desenvolver o projecto de execução para o local com o intuito de promover a abertura de um concurso público para a execução da requalificação do parque de estacionamento. Para a autarquia, a esperança é que as obras possam começar ainda este ano.
Os terrenos junto à estação ferroviária da Póvoa de Santa Iria são, há vários anos, usados como estacionamento para milhares de utilizadores do comboio que ali decidem deixar os seus automóveis antes de um dia de trabalho. O problema sente-se sempre que chove com mais intensidade e transforma o local num lamaçal já tendo havido casos de passageiros que, ao regressar de um dia de trabalho, viram as suas viaturas isoladas em poças de água e tiveram de chamar o reboque.
A promessa da construção de um parque de estacionamento estampada numa faixa de vários metros relembra os moradores das inúmeras promessas que ainda estão por cumprir. “Acho uma fantochada, prometem e não cumprem nada. Tantos projectos, tantas obras e nada avança”, comenta Alice Cunha, 52 anos, quando foi retirar o carro do estacionamento. Os buracos existentes no parque são, segundo a moradora da cidade, apenas a ponta do icebergue uma vez que em dias de chuva mais intensa quase todo o espaço de terra batida fica alagado.
António Sousa, que observava o espaço antes de entrar no autocarro, refere a O MIRANTE que a situação se mantém há bastante tempo. “Precisamos de soluções rápidas para a nossa Póvoa. Já é cansativo estarmos sempre a levar com as coisas todas. Se chove alaga tudo, como em Alverca. Tratem disto antes que a cidade vire uma piscina”, comenta.

Um negócio de um milhão e 750 mil euros
A 9 de Setembro de 2020, recorde-se, foi aprovada a proposta de compra dos dois lotes de terreno existentes junto da estação de comboios para neles ser construído um terminal rodo-ferroviário digno desse nome e foi aprovada também a contratualização, à Caixa Geral de Depósitos, de um empréstimo de um milhão e 750 mil euros que custeou a operação de compra, feita pela câmara municipal ao Funsita – Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado, representado e administrado pela sociedade comercial Interfundos.
O terreno, de 19 mil metros quadrados, permitirá ao município desenvolver o projecto de expansão da zona ribeirinha da Póvoa de Santa Iria, desde o rio até à estação de comboios, e criar no local um parque rodo-ferroviário à semelhança do que existe em Alverca do Ribatejo. A ideia é acabar com a actual solução provisória e que não reúne as melhores condições de segurança e salubridade. A estação é bastante usada não apenas por moradores da Póvoa de Santa Iria mas também das localidades vizinhas de Forte da Casa, Vialonga e Santa Iria da Azóia (Loures). Desde 2015 já foram gastos no local mais de 22 mil euros em pequenos trabalhos de melhoria para dar mais conforto aos utentes da ferrovia que ali estacionam as viaturas durante o dia.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo