Sociedade | 08-02-2023 07:00

Morte de Filipe Silva apanhou de surpresa população de Alcorochell

Morte de Filipe Silva apanhou de surpresa população de Alcorochell
EDIÇÃO SEMANAL
Anexo onde o corpo foi encontrado servia de adega e para arrumação de ferramentas e material agrícola

Filipe Silva estava desaparecido desde 30 de Dezembro. Polícia Judiciária e GNR realizavam buscas perto do local onde o corpo foi acidentalmente descoberto por um serralheiro chamado para desmontar a fechadura de um anexo.

Filipe Silva foi encontrado sem vida 27 dias após o seu desaparecimento num anexo a 50 metros da casa dos seus pais, em Alcorochel, concelho de Torres Novas. A Polícia Judiciária descartou a hipótese de envolvimento de terceiros, mas só a autópsia vai permitir o apuramento da causa da morte. O desfecho trágico deste desaparecimento, que envolveu a população e autoridades em buscas, chocou aqueles que eram mais próximos do homem de 49 anos.
Uma fonte próxima conta a O MIRANTE que, aparentemente, Filipe Silva estava motivado porque tinha em mãos um projecto para remodelar a casa onde vivia com a esposa e os dois filhos, de sete e quatro anos e, por esse motivo, é difícil acreditar que quisesse desistir de viver. Por outro lado, o director da Polícia Judiciária (PJ) de Leiria, Avelino Lima, revelou em conferência de imprensa que “havia indicadores de que o quadro psicológico do falecido não era o melhor” uma vez que apresentava estados depressivos.
O corpo, recorde-se, foi encontrado na manhã de quinta-feira, 26 de Janeiro, por um serralheiro no anexo da casa de um vizinho dos pais de Filipe Silva que não residia permanentemente no país. Depois de várias tentativas infrutíferas para abrir a porta, porque a chave se encontrava do lado de dentro, o proprietário contactou o serralheiro que depois de desmontar a fechadura abriu a porta e ao deparar-se com o corpo deu o alerta às autoridades, que realizavam buscas naquela zona. De acordo com a PJ Filipe Silva saberia onde é que o proprietário guardava a chave.
Também só os resultados da autópsia determinarão há quanto tempo Filipe Silva estaria morto tendo sido visto pela última vez com vida a 30 de Dezembro. Nesse dia, recorde-se, tinha combinado ir com a esposa almoçar a casa dos seus pais mas nenhum dos dois compareceu. Filipe Silva, ex-emigrante em França, estava de baixa médica há cerca de ano e meio devido a um problema nos joelhos. Apesar da condição que lhe limitava a mobilidade dedicava-se à venda de automóveis. O funeral realizou-se na tarde de 31 de Janeiro em Alcorochel.

Filipe Silva. fotoDR

GNR e PJ faziam buscas perto do local onde o corpo foi encontrado

A Guarda Nacional Republicana e a Polícia Judiciária estavam a realizar buscas com recurso a drones e apoio de meios cinotécnicos quando o corpo de Filipe Silva foi encontrado num anexo às 10h45 de 26 de Janeiro. O inspector da PJ, Avelino Lima, explicou, em conferência de imprensa, que como se tratava de um espaço fechado que era propriedade de alguém sem ligações ao falecido que “não foi sequer equacionado”.

Serralheiro foi o último a ver Filipe Silva com vida

O serralheiro que encontrou o corpo de Filipe Silva na manhã de quinta-feira, 26 de Janeiro, terá sido a última pessoa a vê-lo com vida. Ao que O MIRANTE apurou, foi este homem que transmitiu à família que tinha avistado Filipe Silva a andar a pé na localidade com um saco plástico na mão pelas 15h00 de 30 de Dezembro. Coincidentemente, 27 dias depois, foi chamado para abrir a porta do anexo onde o corpo se encontrava.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo