Sociedade | 16-03-2023 18:00

Morreu Vítor Hugo: o homem do teatro da Chamusca

Morreu Vítor Hugo: o homem do teatro da Chamusca
EDIÇÃO SEMANAL
Vitor Hugo, que morreu aos 85 anos, era uma das maiores referências do teatro amador da Chamusca

Faleceu uma das maiores referências do teatro amador da Chamusca. Vítor Hugo representou em centenas de peças, em vários palcos do país, mas sempre foi admirado pelos princípios e valores que manteve ao longo dos seus 85 anos de vida.

Foi em Agosto de 2022, ainda não fez um ano, que Vítor Hugo, actor amador da Chamusca, subiu ao palco pela última vez numa peça do Fatias de Cá, realizada no Grupo Dramático e Musical da Chamusca. Tinha 85 anos, mais de sete décadas de carreira e assumiu o papel de protagonista. Uma das maiores referências do teatro amador da Chamusca faleceu na sexta-feira, 10 de Março, vítima de doença prolongada.
Na sua última actuação O MIRANTE roubou-lhe um abraço e, numa curta conversa, Vítor Hugo explicou que ia abandonar os palcos, embora mantivesse intactas a paixão e a vontade de continuar a representar. O abandono dos palcos de um dos maiores actores da história chamusquense devia-se a problemas de saúde que o obrigaram a intervenção cirúrgica e lhe condicionaram a fala. Ainda que com limitações Vítor Hugo despediu-se do teatro amador com uma actuação cheia de energia e que roubou gargalhadas a uma plateia com mais de uma centena de pessoas, onde se encontravam também muitos familiares e amigos. No final confessou-nos a alegria por se despedir dos palcos na sua terra e junto das pessoas que mais admira e estima.
Vítor Hugo subiu a palco pela primeira vez com 15 anos. Fez parte de várias companhias e representou em centenas de peças, entre as quais o “Salsifré”, “Cepa Torta”, “Poço do Bispo” e “Rei Lear”, esta última foi acompanhada pela reportagem de O MIRANTE, em 2015, no Palácio Marquês da Fronteira, em Lisboa, percorrendo várias salas, terraços e uma boa parte dos jardins. Também nesta Vítor Hugo foi protagonista.
Embora mantivesse sempre em personagem uma energia fora do comum na vida real Vítor Hugo sofreu muitas adversidades. No final da década de 80 perdeu o seu filho Luís quando este tinha apenas 25 anos. Pouco tempo depois, e quando ninguém esperava, regressou aos palcos para homenagear o filho. Vítor Hugo renasceu sempre dos seus infortúnios com a força, jovialidade e irreverência que o caracterizavam.
Vítor Hugo foi vereador na Câmara Municipal da Chamusca, pelo Partido Socialista, durante um mandato autárquico. Em entrevista a O MIRANTE, realizada em 1991, afirmava que a Chamusca, em relação aos concelhos vizinhos, estava pouco desenvolvida e que a tendência era para que crescesse mais lentamente. Nessa mesma entrevista Vítor Hugo confessou ser um homem simples, sem grandes pretensões e que deixou muitos projectos para trás porque não conseguia passar aos outros a vontade e ambição de fazer andar as coisas para a frente.
Na última subida a palco de Vítor Hugo, o Grupo Dramático e Musical atribuiu o seu nome a uma das salas da associação tendo sido aplaudido de pé, não pelas suas qualidades enquanto actor, mas pelos princípios e valores que sempre soube manter durante os seus 85 anos de vida.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1668
    12-06-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo