Sociedade | 03-04-2023 15:00

Cerci de Azambuja lança primeira pedra do novo Complexo Social e de Saúde

Cerci de Azambuja lança primeira pedra do novo Complexo Social e de Saúde
Gesto simbólico marcou o arranque da construção do complexo que vai alargar a resposta da Cerci a pessoas com deficiência ou em situação de dependência

A Cerci Flor da Vida, instituição que presta apoio a quatro centenas de pessoas com deficiência, lançou a primeira pedra para construção do complexo da Quinta das Rosas comparticipado pelo PRR e Segurança Social.

Foi lançada a primeira pedra para a construção do Complexo Social e de Saúde Quinta das Rosas, um projecto da Cerci Flor da Vida, cooperativa que presta apoio a pessoas com deficiência, sediada em Azambuja, que conseguiu financiamento através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e do Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais (PARES), da Segurança Social. A cerimónia decorreu no sábado, 25 de Março, e contou com a presença da secretária de Estado da Inclusão, Ana Sofia Antunes.
“O que pretendemos é ter um equipamento que responda às necessidades das pessoas”, numa “resposta alargada” na área da saúde e dos idosos, referiu o presidente da direcção da Cerci Flor da Vida, José Manuel Franco, adiantando que a obra, adjudicada à empresa Ecoedifica, arranca durante o mês de Abril e tem um prazo de execução de 540 dias.
A infraestrutura contempla 90 camas, capacidade de resposta para 140 utentes e criação de mais 76 postos de trabalho. Do complexo farão parte um lar residencial para 30 utentes, uma estrutura residencial para pessoas idosas com grandes dependências (30 camas), um centro de actividades e capacitação para a inclusão (30 utentes), serviço de apoio domiciliário para pessoas com deficiência (50 utentes) e clínica de saúde e exames de diagnóstico complementares. Da equipa de 76 colaboradores, 40% serão técnicos superiores, sete enfermeiros e dois médicos.
Este projecto, que implica um investimento na ordem dos 4,5 milhões de euros mais IVA financiados pelo PRR e de 899 mil euros financiados pelo PARES, contempla ainda a criação de uma unidade de cuidados continuados integrados de longa duração e manutenção (30 camas), ainda sem concurso público aberto. Esta fase da obra terá um custo estimado em 900 mil euros.
A secretária de Estado da Inclusão destacou o “processo desafiante” de um projecto com dimensão que abrange uma diversidade de respostas e que implicou diferentes candidaturas a programas de apoio. “A Cerci é uma resposta que abarca todo o espectro de acompanhamento das respostas necessárias para a inclusão”, disse Ana Sofia Antunes, que aproveitou a ocasião para lançar o desafio à direcção da instituição para a criação de residências de autonomização e inclusão.
O presidente da Câmara de Azambuja, Silvino Lúcio, lembrou a “decisão política” daquela autarquia na cedência por mais 40 anos da Quinta das Rosas à Cerci Flor da Vida e da isenção de taxas relacionadas com o processo urbanístico na ordem dos 70 mil euros. O autarca socialista disse ainda que o município irá comparticipar a obra com valores que poderão chegar aos 350 mil euros.
Durante a sua intervenção na cerimónia, onde também estiveram presentes autarcas dos concelhos de Azambuja e Alenquer, funcionários e utentes, José Manuel Franco quis ainda destacar que a obra “não vai pôr em causa a estabilidade da instituição”. Recorde-se que a Cerci viveu uma situação financeira conturbada com dívidas que ascendiam aos 386 mil euros durante a gestão da anterior direcção, presidida por Carlos Neto.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1665
    22-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo