Sociedade | 17-04-2023 21:00

Coordenador da Protecção Civil de Benavente diz que obras municipais dificultam a vida aos bombeiros

Comandante dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia e Coordenador Municipal da Protecção Civil, Miguel Cardia, alertou que as obras de requalificação urbana realizadas pela Câmara de Benavente junto à Torre do Arneiro dos Corvos, em Samora Correia, dificultam o acesso da auto-escada ao edifício. Presidente da câmara diz que situação está a ser analisada.

O comandante dos Bombeiros Voluntários de Samora Correia, Miguel Cardia, que acumula funções como coordenador da Protecção Civil Municipal de Benavente, “declina todas as responsabilidades” que possam vir a ser imputadas a si e aos bombeiros no caso de ocorrer um incêndio na Torre do Arneiro dos Corvos, em Samora Correia, um edifício com uma dúzia de pisos. O operacional diz que as obras realizadas pela Câmara de Benavente na zona envolvente ao edifício impedem o acesso da viatura auto-escada a determinados pontos, inviabilizando o seu uso no caso de evacuações e combate às chamas nos pisos mais elevados.
Em causa está a empreitada de remodelação do Parque Ruy Luís Gomes, em Samora Correia, que, segundo o comandante, veio dificultar o acesso da viatura de auto-escada dos bombeiros à Torre do Arneiro dos Corvos. De acordo com o responsável da Protecção Civil, a colocação de árvores e postes de iluminação e o alargamento do passeio, na sequência das obras, impossibilitam a utilização de forma eficaz da viatura. A redefinição do estacionamento automóvel, que foi afastado da fachada do edifício, trouxe complicações acrescidas. “Se o incêndio for num apartamento virado para essa fachada e houver necessidade de salvar alguém ou se tivermos de mandar água para o incêndio não progredir aos pisos superiores é impossível”, sublinha.
Contactado por O MIRANTE, o presidente da Câmara de Benavente, Carlos Coutinho, afirma que o estacionamento está igual e que não foi alterado. “O estacionamento na envolvente ao prédio já lá estava. Só foram colocadas árvores e dois postes de iluminação. O edifício em si está licenciado há muitos anos”. O autarca afirma que os técnicos do município estão a analisar a situação desde 2021, em conjunto com a Protecção Civil (cujo coordenador é o próprio Miguel Cardia). Após análise, o autarca diz que tomará uma decisão sobre esta matéria.
A Torre do Arneiro dos Corvos está classificada como estando na quarta categoria de risco de incêndio, ou seja, apresenta risco muito elevado. Até à data os bombeiros já tinham a vida dificultada devido à configuração da base do prédio, onde funciona um supermercado. O prédio tem 10 pisos para habitação e dois para outros usos. Os bombeiros apenas conseguem operar nos salvamentos em cerca de 50% da fachada principal e lateral esquerda, até ao quinto piso.

Alerta foi dado em 2021
Miguel Cardia diz que alertou a Câmara de Benavente em Abril de 2021, na qualidade de coordenador municipal da Protecção Civil. Quase dois anos depois lamenta que nada tenha sido feito para melhorar o cenário e por isso voltou a falar no assunto enquanto comandante dos Bombeiros de Samora Correia. “O presidente da câmara sabe disto e não fez nada. Se acontecer alguma coisa não venham pedir responsabilidades aos Bombeiros de Samora Correia. Foi cometida uma ilegalidade que tem de ser resolvida, não há volta a dar”, diz.
O Comando Sub-Regional de Protecção Civil da Lezíria do Tejo também já foi notificado das dificuldades dos bombeiros em aceder ao prédio. De acordo com Miguel Cardia, a administração do condomínio da Torre do Arneiro dos Corvos já colocou sinalização de segurança e extintores no edifício para poder agir em caso de fogo e antes da chegada dos bombeiros. Quanto ao exterior do edifício, para o comandante dos Bombeiros de Samora Correia, a solução passa por retirar as árvores e a iluminação e repor a via para os bombeiros poderem posicionar as viaturas.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo