Sociedade | 05-05-2023 07:00

Educar crianças à palmada e puxão de orelhas é abusivo

Educar crianças à palmada e puxão de orelhas é abusivo
Henrique Oliveira, Célia Madruga e Filipa Pimenta (psicólogos da escola); Dulce Rocha (presidente do Instituto de Apoio à Criança), Luísa Subtil e Rosa Teixeira (representantes da direcção da escola) e Irina Batista (associação de pais) numa foto de família antes da palestra “Nem mais uma palmada” na Escola Secundária de Benavente

Iniciativa “Nem mais uma palmada”, realizada na Escola Secundária de Benavente, alertou para a necessidade de prevenir os maus tratos na infância. Presidente do Instituto de Apoio à Criança diz que é urgente acabar com a ideia que a boa educação é feita de uma chapada quando tem de ser.

Presidente do Instituto de Apoio à Criança, Dulce Rocha, diz que é urgente acabar com a ideia que a boa educação é feita de uma bela chapada quando tem de ser.

Reprimir ou educar as crianças à palmada ou com puxões de orelhas é um acto abusivo e retrógrado que precisa de ser desmistificado para alterar mentalidades. A convicção veio a lume numa palestra promovida na Escola Secundária de Benavente na tarde de sexta-feira, 28 de Abril, no âmbito do mês da prevenção dos maus tratos na infância.
A principal palestrante, Dulce Rocha, presidente executiva do Instituto de Apoio à Criança (IAC), não hesitou em lembrar que a ideia de educar à estalada é um fenómeno que tarda em ser eliminado da sociedade portuguesa. “É errado dar palmadas. Não se aprende mais por ter uma educação restritiva e severa. Dar uma bofetada numa criança não a disciplina em nada.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo