Sociedade | 10-05-2023 10:00

Benavente é o concelho da região que mais sofre por falta de habitação social

Benavente é o concelho da região que mais sofre por falta de habitação social
Anabela Leão queixa-se das condições da casa onde mora na Vila das Areias, em Benavente. Pediu casa à câmara mas sem sucesso

Duas moradoras da freguesia de Benavente queixam-se das condições das casas onde vivem actualmente. Com valores de reforma muito baixos não conseguem alugar casa e por isso pediram habitação social à Câmara de Benavente. O município de Benavente é o único que cresce na região a nível populacional, por isso o problema da habitação social também se torna maior e mais evidente.

Ana Parracho Monteiro, 72 Anos, vive sozinha há 11 anos numa casa arrendada no lote 19 da Rua Joaquim Rodrigues Parracho, em Benavente. A habitação já deixou de ter condições para viver com qualidade, tendo em conta a humidade nos dois quartos e na casa de banho. As paredes pretas levam Ana Monteiro a dormir na cama que está na sala e a tapar a televisão com um pano para não se estragar com a humidade. Uma das filhas faleceu há quatro anos e o neto que criou já mora com os sogros em Lisboa. Sente-se sem suporte.
Até 30 de Junho, Ana Parracho Monteiro vai ter de sair daquela casa porque o senhorio quer vender o andar e recusa-se a fazer obras. A ordem foi ditada pelo tribunal que estabeleceu um prazo para que a moradora encontre alternativa para viver. Em 2022 pediu uma casa de habitação social à Câmara de Benavente mas sem sucesso. Com pouco mais de 500 euros de reforma e a tomar 14 medicamentos por dia diz ser impossível suportar valores de renda altos. Na freguesia e arredores a renda mínima de casa são 700 euros. Já este ano dirigiu-se novamente à autarquia mas a resposta é que casas de habitação social só em 2026 e aconselharam-na a ir para uma casa de acolhimento. Uma ideia que rejeita.
Na mesma situação está Anabela Leão, 67 anos, moradora há dois anos na Rua das Areias, em Benavente. Reformou-se aos 65 anos e recebe 330 euros de pensão. Só de renda paga 300 euros. Vale-se da ajuda do filho com quem vive e que contribui com 150 euros e mais algumas compras que faz. No total, Anabela tem sete filhos, espalhados por Samora Correia, Vila Franca de Xira e França, e 21 netos. Diz que não tem condições naquela casa para receber a família. As escadas em azulejo estão partidas, tem humidade nas paredes, problemas eléctricos, e electrodomésticos danificados.
A senhoria já avisou que não vai fazer obras e por isso Anabela pediu uma casa à Câmara de Benavente, porque diz não ter condições para suportar valores de renda superiores a 300 euros. “Concorri a casas da vâmara por duas vezes e não consegui. Dizem que só em 2026 é que têm casas mas nessa altura já não sei se estou viva”, diz a O MIRANTE.

Ana Parracho Monteiro vai ter de sair de casa até Junho. Solicitou habitação social porque não tem forma de suportar os valores actuais de uma renda

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo