Sociedade | 11-07-2023 12:00

Santa Casa de Rio Maior tem um novo lar ao serviço da população

Santa Casa de Rio Maior tem um novo lar ao serviço da população
Provedora Maria José Figueiredo destaca a importância da obra para a comunidade

Provedora da Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior, Maria José Figueiredo, recebeu elogios por concretizar a missão de construir um novo lar há muito desejado. A primeira fase da ampliação da estrutura foi concluída com sucesso e o município de Rio Maior promete apoiar a segunda.

A Santa Casa da Misericórdia (SCM) de Rio Maior inaugurou a primeira fase da ampliação do lar Dr. Calado da Maia e a ampliação da Creche da Chainça, pertença do município embora gerida pela instituição. A cerimónia foi conduzida pela Provedora Maria José Figueiredo, acompanhada pelo presidente do secretariado regional de Santarém da União das Misericórdias Portuguesas, Maia Frazão, do presidente da Câmara de Rio Maior, Filipe Santana Dias e do director da Segurança Social de Santarém, Renato Bento. O MIRANTE acompanhou a inauguração que decorreu no sábado, 24 de Junho.
Em 2014 a instituição iniciou o processo para construir um novo edifício por considerar que o antigo Hospital da Misericórdia de Rio Maior, transformado entretanto num Lar de Grandes Dependentes, não reunia condições para acomodar os utentes e a sua capacidade era pouca para as necessidades da comunidade. A obra foi dividida em duas fases, a primeira de realojamento e a segunda de requalificação do antigo edifício, que posteriormente irá funcionar em conjunto. A primeira fase foi concluída num investimento de cerca de 2,5 milhões de euros e engloba 66 camas, sendo que no final vão estar disponíveis 75 camas e 20 vagas em Centro de Dia. O edifício dispõe de quartos individuais, duplos e triplos, todos com vista para o jardim; duas salas de estar, uma delas equipada com mesas de jogos; biblioteca; enfermaria e gabinete médico. Os utentes foram transferidos em Março deste ano para as novas instalações. A candidatura ao Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais Terceira Geração (PARES 3.0) para a segunda fase foi aprovada e a empreitada que se segue está em fase de concurso público.
Segundo a provedora da SCM de Rio Maior, a principal preocupação da instituição é torná-la sustentável, “pagar a horas aos seus cerca de 100 trabalhadores, aos prestadores de serviços e restantes fornecedores e, simultaneamente, prestar serviços de qualidade à comunidade”. Maia Frazão definiu a obra como um marco deixado por Maria José Figueiredo na comunidade de Rio Maior e defendeu que é o lar com melhores condições no distrito de Santarém e um dos mais dinâmicos, acrescentando que a SCM de Rio Maior é inclusiva e trata de igual forma “os que podem e os que não podem pagar”. O presidente da Câmara de Rio Maior deixou a garantia de ajuda financeira também na próxima fase: “o município tem a obrigação de apoiar estes projectos que fazem a diferença na vida da comunidade e que são estruturantes para o seu desenvolvimento. Temos de cuidar uns dos outros senão não temos quem cuide de nós”, referiu.
A Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior, instituição mais antiga do concelho, fundada em 1759, dispõe de serviços na área da infância, com as creches familiar, pré-escolar e intervenção precoce e serviços médicos no Centro Médico e na Clínica de Fisioterapia. É promotora da Universidade Sénior de Rio Maior, em parceria com o município, proprietária das Capelas Mortuárias da cidade de Rio Maior e da Igreja da Misericórdia.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1672
    10-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo