Sociedade | 15-07-2023 21:00

Moradores de Castanheira do Ribatejo pedem recolha de lixo mais eficaz e limpeza da ilha ecológica

Moradores de Castanheira do Ribatejo pedem recolha de lixo mais eficaz e limpeza da ilha ecológica
Ricardo Falé, Ana Montez, Paula Ribeiro e Rita Caetano queixam-se de acumulação de lixo e falta de limpeza

Ilha ecológica da Rua Hugo Filipe Gustavo da Costa e Horta, em Castanheira do Ribatejo, está sempre cheia. Moscas, cartão a voar e dejectos caninos agravam o cenário, segundo relatos dos moradores.

Os moradores da Rua António da Conceição Diniz, na Urbanização de São João, em Castanheira do Ribatejo, queixam-se de falhas na recolha de lixo. A ilha ecológica da Rua Hugo Filipe Gustavo da Costa e Horta está muitas vezes cheia e por isso os resíduos acumulam-se já fora dos contentores. Os habitantes reclamam falta de limpeza no exterior da ilha ecológica e pingos de gordura e óleo deixados na estrada pelos carros de recolha.
Paula Ribeiro mora há 15 anos naquela rua e lamenta o agravar da situação nos últimos anos. Com os resíduos chegam as moscas. Mora no primeiro andar e tem de fechar a janela da cozinha para o cheiro e os insectos não entrarem.
Ricardo Falé e Ana Montez vivem em Castanheira do Ribatejo há sete anos e para além do lixo reclamam do barulho que os carros de recolha e os trabalhadores fazem durante a madrugada. “A ideia que tenho é que eles não recolhem o mesmo tipo de lixo todos os dias. Num dia levam o plástico, noutro o cartão e isso provoca acumulação”, diz Ricardo Falé.
No ano passado Ana Montez queixou-se da falta de limpeza e já este ano a administração do condomínio enviou três e-mails para a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, que não tiveram resposta. Por causa do lixo já apareceram baratas o que, segundo os moradores, nunca tinha acontecido. As pessoas criticam ainda a postura dos donos dos cães que não apanham os dejectos dos animais quando os passeiam no terreno junto à ilha ecológica, o que agrava ainda mais o cenário de falta de limpeza.
O presidente da Junta de Freguesia de Castanheira do Ribatejo e Cachoeiras, Mário Baptista, remete todas as queixas relacionadas com lixo para o município, solicitando a recolha ou normalização do problema identificado, tal como o caso da Urbanização de São João. O autarca diz que em alguns casos se trata de falta de civismo até porque já testemunhou situações em que a ilha ecológica ou o contentor está praticamente vazio e existem sacos de lixo doméstico no seu exterior.
“Ao dizer isto, reforçamos aqui a necessidade de existir a responsabilidade individual de cada um e, simultaneamente, a necessidade por parte da câmara municipal em reforçar os equipamentos de deposição e periodicidade de recolha”, reiterou. Quanto aos dejectos dos animais Mário Batista afirma que cabe à autarquia reforçar a fiscalização e a sinalização.

Município desconhece constragimentos
Em resposta a O MIRANTE a Câmara Municipal de Vila Franca de Xira diz que a recolha de resíduos urbanos é definida e operacionalizada para fazer face às características das diferentes fileiras de resíduos, as quais têm periodicidades de recolha diferentes. No caso desta rua, a autarquia garante que a recolha é regular e que não está identificado nenhum constrangimento. Os indiferenciados são recolhidos três vezes por semana, os selectivos (papel e embalagens) uma vez por semana e o vidro de acordo com o nível de enchimento. Quanto à desinfestação urbana o município realiza intervenções pontuais, caso sejam reportadas aos serviços municipais, para além da campanha global de desbaratização que teve início a 31 de Maio em todo o concelho. Em Castanheira do Ribatejo a desbaratização ocorreu no dia 22 de Junho.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1673
    17-07-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo