Sociedade | 19-07-2023 07:00

Linha do Norte em Santarém com capacidade excelente para servir novo aeroporto

Vice-presidente da Infraestruturas de Portugal considera que a capital de distrito está bem servida com a via ferroviária existente caso a localização escolhida para o novo aeroporto seja Santarém e que não será necessária uma via de alta velocidade.

Caso Santarém seja a localização escolhida para o novo aeroporto de Lisboa, a ligação ferroviária será assegurada pela Linha do Norte que tem, no entender do vice-presidente da empresa pública Infraestruturas de Portugal (IP), condições excelentes para assegurar o serviço. Carlos Fernandes falou do assunto numa sessão pública em Alhandra a propósito do projecto de quadruplicação da ferrovia entre Alverca e Castanheira do Ribatejo que poderá vir a desfigurar as localidades de Alhandra e Vila Franca de Xira.
“Uma linha de comboio serve cidades, não serve aeroportos. Não se desvia uma linha para servir um aeroporto. Santarém já tem uma situação privilegiada, é excelente, é muitíssimo bem servida pela Linha do Norte. Está a 36 minutos da Gare do Oriente. Se o aeroporto for para Santarém o serviço será feito sob essa linha, sem nenhum tipo de problema”, explicou o responsável da Infraestruturas de Portugal.
Carlos Fernandes acrescenta que caso o aeroporto aterre em Santarém poderão ser feitas ligações de melhoria entre a estação de Santarém e o aeroporto. “Santarém sempre foi bem servida pela Linha do Norte e poderá ser bem servida se o aeroporto lá for calhar”, defendeu. O responsável já tinha defendido a O MIRANTE, no final de Maio, que a passagem do comboio de alta velocidade não acrescentaria nada ao que a Linha do Norte já oferece em Santarém.
Já sobre Vila Franca de Xira o responsável lembra que construir um traçado novo exclusivo para a alta velocidade, como chegou a estar em cima da mesa para o projecto do TGV, implicaria “rasgar” parte do interior do concelho de Vila Franca de Xira e destruir várias aldeias e lugares das freguesias de Vialonga, Calhandriz e São João dos Montes, incluindo a quase total eliminação do lugar do Badalinho. Tudo sem benefícios directos para o concelho, ao contrário da solução proposta, que permitiria aumentar a quantidade de comboios suburbanos e regionais em circulação. “Se Santarém vier a ser muito longe e o aeroporto acabar por ficar em Alcochete esse segundo traçado nem terá de passar por VFX”, explicou.

Movimento de cidadãos “Em defesa de Vila Franca de Xira”

Ainda no rescaldo da sessão pública realizada em Alhandra a 27 de Junho, onde a IP apresentou o estudo preliminar para o alargamento da linha de comboio e onde o vice-presidente da IP avisou que “o comboio de alta velocidade não passa sem sangue”, o movimento de cidadãos “Em defesa de Vila Franca de Xira” emitiu um comunicado mostrando o seu desagrado e desapontamento com a apresentação.
O grupo de cidadãos diz que a segunda apresentação da IP foi uma repetição da primeira apresentação, feita no final de Maio e continua a considerar que não está devidamente fundamentada a opção pela quadruplicação da linha. Dizem que se está a esconder da população informação sobre as alternativas e impactos sociais, ambientais, patrimoniais e económicos e exigem a suspensão do projecto. “Reforçamos o apelo à união da população, bem como de todos os eleitos, para travar este projecto e exigir alternativas”, referem. O movimento anuncia também que vai estar a contactar com a comunidade no dia 15 de Julho, no Mercado Municipal de VFX e no Mercado do Levante em Alhandra, pelas 09h00, para recolher contributos sobre o projecto.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1631
    27-09-2023
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1631
    27-09-2023
    Capa Médio Tejo