Sociedade | 26-07-2023 12:00

Queda de ramo fere criança na zona ribeirinha da Póvoa de Santa Iria

Queda de ramo fere criança na zona ribeirinha da Póvoa de Santa Iria
Filho de Bruno Bento foi atingido por um ramo de grandes dimensões quando estava nesta esplanada da Póvoa de Santa Iria

Moradores e comerciantes pedem uma intervenção mais cuidadosa nas árvores situadas na esplanada do passeio ribeirinho da Póvoa de Santa Iria. Filho de Bruno Bento foi atingido por queda de ramo.

A queda de um ramo seco da copa de uma das árvores existentes na esplanada do passeio ribeirinho da Póvoa de Santa Iria, com perto de três metros, causou ferimentos ligeiros numa criança e preocupação na comunidade quanto ao estado fitossanitário daquelas árvores. Diz quem trabalha ali perto e frequenta o espaço diariamente que raramente são feitas podas preventivas e que alguns galhos até já batem na cabeça dos clientes que estão na esplanada nos dias de maior vento, por estarem demasiado baixos. Há quem defenda uma poda mais agressiva e preventiva que evite acidentes.
“Aconteceu comigo e com o meu filho mas, ao que soubemos, é recorrente caírem galhos e ramos aqui. No meio disto tudo acabámos por ter muita sorte, porque o ramo apanhou o miúdo de raspão. Se o apanha em cheio na cabeça a coisa podia ter sido muito pior e aí teríamos um problema”, explica Bruno Bento, pai da criança, a O MIRANTE. O acidente aconteceu a 28 de Junho e provocou grande alvoroço e preocupação no local. “Claro que as pessoas ficaram alarmadas e preocupadas. Foi um grande estrondo. Não se percebe como um ramo de grandes dimensões cai sem ninguém ter visto que estava seco”, questiona.
Quem também já assistiu à queda de um ramo na zona é Fernando Pinto, pescador. “O café já se ofereceu para arranjar alguém que fizesse as podas mas dizem que não podem mexer nas árvores, que é com a câmara. Basta olhar para elas para ver que as podas deixam muito a desejar. Só cá aparecem de longe a longe”, conta. Em Janeiro, diz, outro tronco caiu sobre a esplanada. “Por sorte não estava ninguém naquela mesa senão tinha morrido gente”, avisa.
Contactada por O MIRANTE, a Câmara de Vila Franca de Xira garante que as árvores em questão estão em bom estado fitossanitário e nega que as árvores não estejam a ser alvo de podas preventivas. Diz que foram alvo de podas na época de 2021/2022 e que estão previstas intervenções de poda para 2023/2024. “As condições climáticas adversas, tempo seco e ventos fortes serão a causa da queda deste ramo de pequenas dimensões”, considera a câmara. Até ao momento, acrescenta a câmara, não deu entrada nos serviços nenhuma queixa sobre o assunto.

Mais Notícias

    A carregar...
    Logo: Mirante TV
    mais vídeos
    mais fotogalerias

    Edição Semanal

    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1664
    15-05-2024
    Capa Lezíria/Médio Tejo